Mercado fechará em 2 h 40 min
  • BOVESPA

    108.196,85
    +1.900,67 (+1,79%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.799,37
    -90,29 (-0,17%)
     
  • PETROLEO CRU

    84,04
    +0,28 (+0,33%)
     
  • OURO

    1.809,90
    +13,60 (+0,76%)
     
  • BTC-USD

    63.619,47
    +3.668,64 (+6,12%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.520,35
    +1.277,67 (+526,48%)
     
  • S&P500

    4.565,09
    +20,19 (+0,44%)
     
  • DOW JONES

    35.758,42
    +81,40 (+0,23%)
     
  • FTSE

    7.222,82
    +18,27 (+0,25%)
     
  • HANG SENG

    26.132,03
    +5,10 (+0,02%)
     
  • NIKKEI

    28.600,41
    -204,44 (-0,71%)
     
  • NASDAQ

    15.460,00
    +119,00 (+0,78%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4964
    -0,0844 (-1,28%)
     

Gerenciador de pacotes do Windows é atualizado e chega ao Windows 11

·2 minuto de leitura

Uma das formas mais simples de se gerenciar programas do computador para quem é aficionado por informática é através de linhas de comando — e distribuições Linux fazem isso há bastante tempo. Nesta semana, a Microsoft lançou mais uma atualização para o Windows Package Manager, a versão 1.1, e já incluiu compatibilidade com o Windows 11, disponível deste a a última segunda (4).

O Windows Package Manager funciona exatamente como outros gerenciadores de pacotes que existem por aí. Por meio dele, o usuário tem controle direto sobre programas que estejam instalados no computador, só que de forma avançada, por comando direto no prompt ou no Windows PowerShell.

Comandos dão controle avançado sobre pacotes, coisa que uma interface gráfica comum normalmente não oferece (Imagem: Reprodução/Microsoft)
Comandos dão controle avançado sobre pacotes, coisa que uma interface gráfica comum normalmente não oferece (Imagem: Reprodução/Microsoft)

No terminal, a ferramenta é acessível por meio do comando winget. Depois de ativada, o usuário pode usar uma lista de controles especiais para instalar programas, fazer downloads, obter informações, listar, exportar, importar e pesquisar aplicações nos repositórios registrados.

Sem cliques, só comandos

A principal vantagem de usar um gerenciador de pacotes por prompt é dispensar o uso de uma interface gráfica tradicional para fazer a manutenção de aplicativos. Para quem é mais ligado no mundo dos PCs ou sempre foi mais apegado às distros Linux, o Windows Package Manager é um atalho extremamente bem-vindo, além de dar acesso a algumas facilidades relacionadas ao uso de repositórios e controles mais profundos sobre a instalação de apps.

O winget pode ter visual personalizado também via comandos (Imagem: Reprodução/Microsoft)
O winget pode ter visual personalizado também via comandos (Imagem: Reprodução/Microsoft)

A solução da Microsoft apareceu pela primeira vez em versão final em maio e foi aprimorada ao longo do tempo. Agora, a principal novidade do Windows Package Manager é conseguir acessar aplicativos que estão dentro da Microsoft Store, que passa a ser uma das fontes padrões do download.

A atualização do recurso está sendo distribuída gradativamente através da Microsoft Store, mas os interessados na ferramenta podem obtê-la também a partir do GitHub. A documentação completa do serviço está acessível na página oficial da Microsoft.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos