Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.923,93
    +998,33 (+0,90%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.234,37
    -223,18 (-0,43%)
     
  • PETROLEO CRU

    80,34
    -0,88 (-1,08%)
     
  • OURO

    1.797,30
    -3,80 (-0,21%)
     
  • BTC-USD

    17.029,13
    +100,31 (+0,59%)
     
  • CMC Crypto 200

    404,33
    +2,91 (+0,72%)
     
  • S&P500

    4.071,70
    -4,87 (-0,12%)
     
  • DOW JONES

    34.429,88
    +34,87 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.556,23
    -2,26 (-0,03%)
     
  • HANG SENG

    18.675,35
    -61,09 (-0,33%)
     
  • NIKKEI

    27.777,90
    -448,18 (-1,59%)
     
  • NASDAQ

    11.979,00
    -83,75 (-0,69%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4940
    +0,0286 (+0,52%)
     

Gerdau tem lucro líquido menor no 3° tri com pressão de custos

SÃO PAULO (Reuters) - A siderúrgica brasileira Gerdau informou nesta quarta-feira que seu lucro líquido ajustado caiu cerca de um terço no terceiro trimestre em relação a igual período do ano passado, com preços de aço mais baixos globalmente e aumento dos custos de insumos.

O lucro líquido ajustado da empresa foi de 3,02 bilhões de reais, queda de 33,7% na base anual, embora praticamente em linha com as projeções do mercado. Analistas consultados pela Refinitiv esperavam um lucro líquido de 2,97 bilhões de reais no período.

Rivais como Usiminas e CSN já haviam divulgado resultados trimestrais mais fracos, levando analistas a destacar a pressão do aumento dos custos nos resultados das siderúrgicas brasileiras no trimestre.

A Gerdau disse que suas vendas de aço caíram 10%, para 2,93 milhões de toneladas, no período, enquanto a receita líquida ficou em 21,15 bilhões de reais, quase estável ano a ano e em linha às estimativas dos analistas.

Apesar das contínuas pressões de custos, a Gerdau classificou os resultados como "sólidos" e destacou forte base de comparação devido aos volumes vistos em igual período de 2021.

A Gerdau afirmou também que os preços internacionais mais baixos pesaram em seu Ebitda ajustado, ou lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização, que caiu 23,6% em 12 meses, para 5,37 bilhões de reais.

(Por Gabriel Araujo)