Mercado fechado
  • BOVESPA

    115.202,23
    +2.512,05 (+2,23%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.342,54
    +338,35 (+0,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,28
    +2,45 (+3,84%)
     
  • OURO

    1.698,20
    -2,50 (-0,15%)
     
  • BTC-USD

    50.626,04
    +3.195,24 (+6,74%)
     
  • CMC Crypto 200

    982,93
    +39,75 (+4,21%)
     
  • S&P500

    3.841,94
    +73,47 (+1,95%)
     
  • DOW JONES

    31.496,30
    +572,16 (+1,85%)
     
  • FTSE

    6.630,52
    -20,36 (-0,31%)
     
  • HANG SENG

    29.098,29
    -138,50 (-0,47%)
     
  • NIKKEI

    28.864,32
    -65,78 (-0,23%)
     
  • NASDAQ

    12.652,50
    +197,50 (+1,59%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7780
    -0,0079 (-0,12%)
     

Geração do milênio agita mercado de casas de luxo nos EUA

Jacqueline Davalos
·4 minuto de leitura

(Bloomberg) -- Em nítido contraste com o estereótipo “preguiçoso” que definiu sua geração, os mais jovens não estão morando no porão dos pais. Eles estão comprando casas de milhões de dólares.

Com 38%, os chamados millennials - adultos nascidos de 1981 a 1996 - representam a maior parcela dos compradores de casas nos Estados Unidos, de acordo com uma pesquisa da Associação Nacional de Corretores de Imóveis divulgada no ano passado. “Eles estão muito interessados em ter uma casa. Apenas esperaram mais para comprar a primeira”, diz Bradley Nelson, diretor de marketing da Sotheby’s International Realty.

Rompendo com a noção de uma “casa inicial” que as gerações mais velhas abraçaram, a geração de jovens ricos, diz Nelson, está apostando alto.

“No passado, as pessoas compravam uma propriedade modesta, viviam nela até começar uma família e depois trocavam por uma propriedade maior”, diz ele. “Para a geração dos millennials, não é incomum que a primeira compra seja uma casa de luxo multimilionária nos Estados Unidos ou internacionalmente.”

Como resultado, essa geração está se tornando rapidamente uma força dominante no mercado imobiliário de ponta.

“Os baby boomers estão se aposentando em locais mais ensolarados, enquanto o trabalho remoto permitiu que a geração mais jovem subisse um degrau na escala da habitação em cidades menores e mais acessíveis”, diz um novo relatório da Sotheby’s sobre o luxo global em 2021. “Ênfase em questões como a sustentabilidade certamente aumentará com o envelhecimento dos millennials que, com 72,1 milhões, é a maior geração adulta, com preferências de consumo únicas que influenciarão profundamente na direção do mercado de habitação de luxo.”

Os millennials são a geração mais instruída da história, com rendimentos mais altos e maior possibilidade de herdar bens do que qualquer geração anterior, de acordo com relatório de maio de 2020 do Instituto Brookings.

Caracterizadas por seus valores tecnológicos e ambientalmente conscientes, as preferências dessa geração devem moldar dramaticamente o mercado, uma dinâmica que vem se mostrando durante a pandemia de Covid-19. Começando quase imediatamente após a chegada do coronavírus, por exemplo, os compradores começaram a se aglomerar em áreas que ofereciam facilidade para caminhar, natureza e uma qualidade de vida completa.

Aspen, Colorado, Austin e Texas foram os principais beneficiários, explica Nelson. “É a diferença de escolher onde você quer morar versus morar onde você trabalha”, diz ele.

O volume total de vendas em Aspen atingiu recorde de mais de US$ 1,5 bilhão no terceiro trimestre, enquanto em alguns bairros de Park City, Utah, os preços médios de vendas aumentaram mais de 50% durante o verão, de acordo com a perspectiva de luxo da Sotheby’s para 2021.

Fora dos EUA, a Península de Mornington, na costa sudeste da Austrália, também viu um influxo semelhante, afirma o relatório.

Mudanças Permanentes

No futuro, os desenvolvedores provavelmente integrarão recursos de alta tecnologia sem toque em mais casas e se concentrarão em reforçar as credenciais de sustentabilidade em novos edifícios, diz Nelson.

Sistemas geotérmicos de economia de energia e painéis solares a telhados verdes, “são as características mais atraentes”, acrescenta.

No geral, o mercado imobiliário de luxo está pronto para crescer.

De acordo com uma pesquisa da Sotheby’s International Realty de dezembro, 63% dos afiliados entrevistados disseram esperar que os preços das residências de luxo aumentem nos próximos três anos em seus respectivos mercados. Mais de 70% dos entrevistados relataram aumento da demanda no final de 2020.

Ventos contrários

No curto prazo, porém, a distribuição desarticulada da vacina e as novas restrições à circulação podem prejudicar o interesse do comprador estrangeiro. Apenas um terço dos afiliados da Sotheby’s espera ver um aumento na demanda no primeiro semestre de 2021, de acordo com o relatório.

Além disso, em meio a quedas indiscriminadas nas receitas fiscais gerais causadas pela pandemia, os governos em todo o mundo estão reavaliando os impostos sobre propriedade e riqueza como forma de preencher lacunas orçamentárias.

“Para todos os compradores, as implicações fiscais serão a maior parte das considerações sobre a compra de uma casa”, diz Nelson.

Com o rápido crescimento de jovens compradores afluentes e ansiosos para conquistar as casas dos seus sonhos, a geração de millennials tem poucas opções que atendam a seus gostos exclusivos. “Os estoques estão quase em patamares mínimos históricos, especialmente para as casas com os recursos que procuram”, diz ele.

Ainda assim, Nelson acrescenta que com “a crescente criação de riqueza e o custo de capital diminuindo, há uma tempestade promissora para o mercado imobiliário de luxo”.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.