Mercado fechado
  • BOVESPA

    96.582,16
    +1.213,40 (+1,27%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    36.801,37
    -592,34 (-1,58%)
     
  • PETROLEO CRU

    36,14
    -0,03 (-0,08%)
     
  • OURO

    1.867,50
    -0,50 (-0,03%)
     
  • BTC-USD

    13.454,15
    -88,77 (-0,66%)
     
  • CMC Crypto 200

    264,05
    +21,37 (+8,80%)
     
  • S&P500

    3.310,11
    +39,08 (+1,19%)
     
  • DOW JONES

    26.659,11
    +139,16 (+0,52%)
     
  • FTSE

    5.581,75
    -1,05 (-0,02%)
     
  • HANG SENG

    24.586,60
    -122,20 (-0,49%)
     
  • NIKKEI

    23.331,94
    -86,57 (-0,37%)
     
  • NASDAQ

    11.224,25
    -118,50 (-1,04%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7452
    +0,0108 (+0,16%)
     

George, do Fed, diz que novo arcabouço do BC dos EUA é "menos" promessa de inflação mais alta do que "tolerância" a ela

·1 minuto de leitura

(Reuters) - O novo arcabouço do Federal Reserve para administrar a política monetária dos Estados Unidos mostra uma "tolerância" a uma inflação mais alta, mas não é necessariamente uma promessa completa de materializá-la, disse nesta quinta-feira a presidente do Federal Reserve de Kansas City, Esther George.

Como parte da aplicação de uma nova estratégia de permitir a alta da inflação na esperança de encorajar mais ganhos de emprego, o Fed disse no mês passado que não aumentaria os juros até que a inflação tivesse atingido sua meta de 2% e estivesse no caminho de "exceder moderadamente os 2% por algum tempo".

"Eu interpreto a declaração de consenso revisada como uma tolerância --e menos como uma promessa de engenharia", disse George, acrescentando sua opinião a visões divergentes entre autoridades do Fed sobre como a nova estrutura será aplicada na prática.

A ata da reunião de setembro do Fed, divulgada na quarta-feira, mostrou ampla divergência de pontos de vista nessa frente, e George, tradicionalmente entre os membros menos tolerantes à inflação e aos riscos financeiros que a política monetária frouxa pode gerar, colocou-se no campo que vê o novo quadro como menos vinculativo ao invés de mais.

(Por Howard Schneider)