Mercado fechado
  • BOVESPA

    117.197,82
    +967,70 (+0,83%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.845,83
    -200,75 (-0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    88,03
    +1,51 (+1,75%)
     
  • OURO

    1.725,00
    -5,50 (-0,32%)
     
  • BTC-USD

    20.028,08
    -325,61 (-1,60%)
     
  • CMC Crypto 200

    456,09
    -2,31 (-0,50%)
     
  • S&P500

    3.783,28
    -7,65 (-0,20%)
     
  • DOW JONES

    30.273,87
    -42,45 (-0,14%)
     
  • FTSE

    7.052,62
    -33,84 (-0,48%)
     
  • HANG SENG

    18.087,97
    +1.008,46 (+5,90%)
     
  • NIKKEI

    27.120,53
    +128,32 (+0,48%)
     
  • NASDAQ

    11.628,00
    -12,75 (-0,11%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1356
    -0,0323 (-0,63%)
     

George, do Fed, defende prontidão na alta de juros em vez de velocidade

Fachada do Federal Reserve, em Washington

(Reuters) - A presidente do Federal Reserve de Kansas City, Esther George, defendeu nesta sexta-feira uma "resposta de política (monetária) sustentada" à inflação alta, no que serão seus comentários finais antes do próximo encontro do Fed, em duas semanas.

"Teremos de determinar o curso de nossa política por meio da observação, em vez de referência a modelos teóricos ou tendências pré-pandemia", disse George em comentários preparados para serem feitos no Peterson Institute for International Economics, observando que seria "provavelmente apenas especulação" avaliar até que ponto a taxa básica de juros do Fed precisará ir.

"Dadas as prováveis ​​defasagens no repasse de uma política monetária mais apertada para as condições econômicas reais, isso sugere firmeza e propósito em vez de velocidade", disse ela.

Como o Fed tem elevado as taxas em seu ritmo mais rápido desde a década de 1980 para combater o pior surto de inflação desde então, George tem sido uma voz constante alertando contra altas acentuadas de juros que possam aumentar a volatilidade.

Espera-se que o Fed em duas semanas escolha entre entregar um terceiro aumento consecutivo de juro de 75 pontos-base --que elevaria o intervalo da meta para entre 3% e 3,25%-- e um aumento menor de 0,50 ponto.

Os mercados de forma geral esperam a primeira opção, assim como muitos economistas, com alguns observando que o chair do Fed, Jerome Powell, falando no começo desta semana, não rechaçou essas expectativas do mercado.

As observações de George sinalizam seu apoio a uma resposta mais lenta, mas talvez mais sustentada, às pressões de preços causadas pela pandemia.

Em seus comentários, George também pediu que o Fed sinalize uma "resolução" clara de reduzir seu balanço.

"Pode haver benefícios em anunciar os níveis de reservas desejados à medida que o balanço patrimonial encolhe, dando aos bancos tempo para se preparar para operar com reservas significativamente menores", disse ela.

(Por Ann Saphir)