Mercado fechará em 1 h 56 min
  • BOVESPA

    110.475,19
    +1.987,30 (+1,83%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.718,20
    +199,90 (+0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    109,95
    -0,33 (-0,30%)
     
  • OURO

    1.850,90
    +8,80 (+0,48%)
     
  • BTC-USD

    30.071,18
    +172,33 (+0,58%)
     
  • CMC Crypto 200

    675,50
    +0,63 (+0,09%)
     
  • S&P500

    3.968,94
    +67,58 (+1,73%)
     
  • DOW JONES

    31.880,96
    +619,06 (+1,98%)
     
  • FTSE

    7.513,44
    +123,46 (+1,67%)
     
  • HANG SENG

    20.470,06
    -247,18 (-1,19%)
     
  • NIKKEI

    27.001,52
    +262,49 (+0,98%)
     
  • NASDAQ

    11.991,00
    +150,25 (+1,27%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1373
    -0,0155 (-0,30%)
     

Genoma da baunilha começa a revelar seus segredos

Favas de baunilha (AFP/Maude BRULARD) (Maude BRULARD)

Os cientistas já decifraram mais de 80% do genoma da baunilha, um passo essencial no desenvolvimento de variedades mais robustas desta planta delicada propensa a doenças.

As vagens de Vanilla planifolia contêm um néctar enegrecido pegajoso que serve para dar um perfume reconhecível a alimentos.

Mas essa espécie, que representa mais de 95% da produção mundial de baunilha natural, tem um grave problema, que afeta seu preço. Sua diversidade genética é muito baixa, o que a deixa vulnerável a uma temida doença, a fusariose, que também afeta outras plantas, como batatas, ou bananas.

A obtenção de variedades novas e mais resistentes requer "muito tempo, sete a oito anos, grão a grão", explicou à AFP a geneticista Carine Charron, coautora de um estudo publicado na revista Plants Communication, nesta quinta-feira (5).

Até agora, os pesquisadores tinham apenas um terço da sequência do genoma da Vanilla planifolia, o que impossibilitava a localização dos genes que favorecem o cruzamento das variedades.

Em 2017, um consórcio de pesquisa francês começou a sequenciar o restante do genoma da Vanilla planifolia na ilha de Reunião, onde está localizada a maior coleção de baunilha do mundo.

A planta, que pertence à família das orquídeas, tem uma característica muito particular: quase um terço de seu genoma está concentrado no núcleo das células vegetais, o que dificulta a localização dos dois terços restantes, por meio de métodos clássicos de sequenciamento.

"Conseguimos contornar parcialmente esse problema pesquisando os tecidos nucleares da planta", que contém todo o DNA distribuído regularmente, disse à AFP Quentin Piet, estudante de doutorado da Universidade de La Réunion e principal autor do estudo.

Com um catálogo de mais de 59.000 genes, disponível em uma plataforma on-line, os pesquisadores poderão acelerar programas de melhoramento de variedades.

"Poderemos descobrir mais rapidamente se um cruzamento entre variedades de plantas tem um gene que estamos procurando, para continuar com o processo de seleção", afirma Carine Charron, chefe da coleção de baunilha de um organismo científico francês, Cirad, com mais de 500 variedades.

O primeiro objetivo é conseguir uma planta resistente à fusariose.

"É uma doença crônica, um fungo que come as raízes e que afeta muito a Vanilla planifolia", disse à AFP Michel Grisoni, pesquisador do Cirad em Madagascar, onde 80% da produção mundial de baunilha está concentrada, muito à frente de Indonésia, México e Reunião.

A presença de fungos do gênero Fusarium, "obriga o plantador a ir explorar novas terras, se as tiver", acrescenta o pesquisador.

Michel Grisoni também cita a mudança climática "que começa a ser sentida no Oceano Índico", e ainda mais no México, com temperaturas muito altas que fazem os frutos abortarem.

São muitas as razões, portanto, para desenvolver "variedades que se adaptam melhor a condições extremas e mais resistentes a doenças", acrescenta.

Sem esquecer a possibilidade de trabalhar a diversidade aromática da fava de baunilha. O longo caule marrom, o ovário da flor, é obtido por polinização manual, em uma flor "que abre por apenas 24 horas".

pcl/jz/mb/mr/tt

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos