Mercado abrirá em 5 h 52 min
  • BOVESPA

    122.964,01
    +1.054,98 (+0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.655,29
    -211,86 (-0,42%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,67
    +0,39 (+0,60%)
     
  • OURO

    1.834,40
    -1,70 (-0,09%)
     
  • BTC-USD

    57.210,29
    +1.618,42 (+2,91%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.549,28
    +1.306,60 (+538,41%)
     
  • S&P500

    4.152,10
    -36,33 (-0,87%)
     
  • DOW JONES

    34.269,16
    -473,66 (-1,36%)
     
  • FTSE

    6.947,99
    0,00 (0,00%)
     
  • HANG SENG

    28.132,44
    +118,63 (+0,42%)
     
  • NIKKEI

    28.147,51
    -461,08 (-1,61%)
     
  • NASDAQ

    13.279,50
    -66,50 (-0,50%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3379
    -0,0075 (-0,12%)
     

Gastromotiva que alimentar 2 milhões de pessoas: “Cozinhas Solidárias”

Patrick Monteiro
·2 minuto de leitura
Gastromotiva faz campanha de doação de alimentos (Divilgação)
Gastromotiva faz campanha de doação de alimentos (Divilgação)

Além da piora da pandemia de covid-19, o Brasil vive um outro grande problema: a volta da fome. Segundo a FGV, 12,8 das pessoas no Brasil estão em situação de extrema pobreza. São cerca de 28 milhões de pessoas vivem com menos de R$ 10 por dia.

“Estamos há 1 ano operando as Cozinhas Solidárias. O número de pessoas com fome aumentou, enquanto o auxílio minguou. Ouvi essa semana dos nossos cozinheiros e cozinheiras sociais que estão atuando na linha de frente que, se antes com auxilio já estava difícil sobreviver, agora as pessoas não tem de onde tirar o dinheiro”, declara David Hertz, chef, idealizador e presidente da Gastromotiva.

Leia também:

O avanço da pandemia, e a necessidade de governos estaduais em restringir a circulação de pessoas, aliada a falta de apoio à população do governo federal, fechou vagas de trabalho. “Pessoas estão desempregadas, algumas recebendo uma cesta básica, mas sem dinheiro para o gás de cozinha”, referência sobre o aumento de famílias que começaram a cozinhar com lenha.

A Gastromotiva, que ajuda a alimentar milhares de famílias desde o início da pandemia, aponta que as doações em dinheiro caíram cerca de 66%. “Não há perspectiva de melhora e as famílias estão fragilizadas e desamparadas. As Cozinhas Solidárias levam comida de qualidade, contribuindo não só para o fortalecimento da imunidade dessas pessoas, mas sendo uma forma de esperança. Os cozinheiros e cozinheiras sociais são agentes de mudança e transformação", completa.

Atuando em São Paulo, Rio de Janeiro e Curitiba, organização lança a campanha ‘Chega de Fome’ para arrecadar fundos para a causa. O valor arrecadado, via pix ou da plataforma online de doação acessada pelo site da organização, será aplicado nas Cozinhas Solidárias, projeto que produz quentinhas e distribui para quem está sem comida, e para o Banco de Alimentos, eles recebem doações de alimentos e os repassam para outros projetos, organizações e aparelhos socioassistenciais parceiros, como o ‘Covid Sem Fome’ e o ‘Projeto Ruas,’ ambos da região central do Rio de Janeiro.

Desde o começo da pandemia a Gastromotiva já serviu mais de 900 mil refeições nutritivas para pessoas em situação de vulnerabilidade social e resgatou mais de 220 toneladas de alimentos. Com o projeto Chega de Fome a expectativa é de atender mais de 2 milhões de pessoas.