Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.439,37
    -2.354,91 (-2,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.307,71
    -884,62 (-1,69%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,96
    -0,65 (-0,90%)
     
  • OURO

    1.753,90
    -2,80 (-0,16%)
     
  • BTC-USD

    47.834,80
    -396,62 (-0,82%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.193,48
    -32,05 (-2,62%)
     
  • S&P500

    4.432,99
    -40,76 (-0,91%)
     
  • DOW JONES

    34.584,88
    -166,44 (-0,48%)
     
  • FTSE

    6.963,64
    -63,84 (-0,91%)
     
  • HANG SENG

    24.920,76
    +252,91 (+1,03%)
     
  • NIKKEI

    30.500,05
    +176,71 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.282,75
    -226,75 (-1,46%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1994
    +0,0146 (+0,24%)
     

Gasto de brasileiro no exterior quase dobra em julho, mas permanece abaixo de período pré-pandemia

·2 minuto de leitura

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Os gastos de brasileiros no exterior alcançaram US$ 452 milhões em julho, quase o dobro do registrado no mesmo período do ano passado. Em relação ao mês anterior, a alta foi de US$ 3,3 milhões, segundo dados divulgados pelo BC (Banco Central) nesta quarta-feira (25).

Em junho, os desembolsos de turistas brasileiros lá fora já haviam crescido, com US$ 448,7 milhões, também quase o dobro do registrado no mesmo mês de 2020.

O nível dos últimos dois meses, no entanto, ainda está abaixo do registrado antes da pandemia de Covid-19, que costumava extrapolar US$ 1 bilhão mês a mês. Em junho e julho de 2019, por exemplo, os brasileiros gastaram US$ 1,5 bilhão e US$ 1,9 bilhão, respectivamente.

A crise afetou significativamente o segmento. Além do medo de contágio, o dólar alto desencorajou turistas. Alguns países também impuseram restrições para viajantes, como comprovante de vacina, quarentena ou exame negativo para Covid-19.

Embora ainda em ritmo lento, o setor de turismo internacional mostra sinais de recuperação. Com o avanço da imunização no país nos últimos meses, brasileiros têm viajado mais para fora.

Os gastos de turistas estrangeiros no país, no entanto, continuam em baixa. Em julho, foram US$ 222,8 milhões, US$ 5 milhões a menos que no mês anterior. No mesmo período do ano passado, os desembolsos somaram US$ 417,1 milhões.

"A pandemia ainda afeta as viagens internacionais, mas já começa a ter alguma recuperação puxada pelas despesas [gastos dos brasileiros no exterior] que subiram 69% em comparação a julho do ano passado", ressaltou o chefe do departamento de estatísticas do BC, Fernando Rocha.

No ano, até julho, os brasileiros gastaram US$ 2,4 bilhões em viagens internacionais. Na comparação com o mesmo período de 2020, quando foram US$ 3,84 bilhões, houve queda de 37,6%. Os primeiros meses do ano passado, anteriores à pandemia, tiveram resultados maiores e puxaram o número.

"Entre janeiro a julho deste ano, ainda temos um forte impacto da pandemia, porque a recuperação começou nos últimos meses. Além disso, o mesmo período de 2020 ainda engloba janeiro e fevereiro, antes da crise, o que aumenta a base de comparação", pontuou Rocha.

Dentro das contas externas, viagens internacionais apresentaram resultado negativo de US$ 229 milhões em julho. Isso significa que mais recursos saíram do que entraram no país na modalidade. No semestre, houve saída líquida de 893 milhões.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos