Mercado fechado

Gasolina cai pela quarta semana e já está abaixo de R$ 6 por litro

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - O preço da gasolina caiu mais 2,9% nos postos brasileiros esta semana, voltando a patamar equivalente ao registrado em abril de 2021, em valores corrigidos pela inflação. É a quarta semana seguida de queda, com redução acumulada de 20,3%.

Segundo a ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustíveis), o preço médio da gasolina no país foi de R$ 5,89 por litro esta semana. O valor já tem impacto de repasses do corte de 4,9% promovido pela Petrobras em suas refinarias na terça-feira (19).

A queda nas últimas semanas responde principalmente a cortes nos impostos federais e estaduais sobre os combustíveis, fruto de projetos de lei aprovados pelo Congresso com apoio do governo federal para reverter prejuízos à sua imagem às vésperas da eleição.

O governo estimava que as medidas derrubariam o preço médio gasolina em R$ 1,55 por litro. De acordo com a ANP, a queda acumulada já chega a R$ 1,50 por litro.

Com as quedas consecutivas, a ANP já encontrou gasolina se aproximando dos R$ 5 por litro. Em Passos (MG), por exemplo, o produto foi encontrado a R$ 5,09, o valor mais baixo desta semana. Já a gasolina mais cara foi encontrada em Altamira (PA), a R$ 7,75.

Nesta sexta, o presidente Jair Bolsonaro (PL) editou decreto prorrogando o cumprimento de metas de compra de créditos de carbono pelo setor de combustíveis, que deve ampliar a redução dos preços nas próximas semanas.

Depois, visitou um posto em Brasília com o ministro de Minas e Energia, Adolfo Sachsida, para celebrar o decreto e a queda dos preços.

A medida deve ajudar a reduzir o preço do diesel, que sofreu menos impacto dos cortes de impostos, pois já vinha com impostos federais zerados e, na maior parte dos estados, já tinha alíquota de ICMS abaixo do teto estabelecido por lei aprovada no fim de junho.

De acordo com a ANP, o combustível foi vendido esta semana a um preço médio de R$ 7,44 por litro, 0,5% abaixo do verificado na semana anterior. Desde o fim de junho, a queda acumulada é de apenas 1,7%.

Mais beneficiado pelas medidas aprovadas pelo Congresso, o preço do etanol caiu 2% esta semana, para R$ 4,32 por litro. Desde o fim de junho, a queda acumulada é de 11,3%. Várzea Grande (MT) teve o etanol mais barato do país esta semana, a R$ 3,53.

O governo estima que o produto pode ter redução adicional de R$ 0,19 por litro, em média, com a emenda constitucional que restabeleceu a vantagem tributária dos biocombustíveis sobre os combustíveis fósseis.

De acordo com a ANP, o GNV (gás natural veicular) foi vendido no país a R$ 5,08 por metro cúbico, queda de 0,4% em relação à semana anterior. O produto também vem em curva de queda, com recuo acumulado de 3,6% em quatro semanas,

O preço do gás de cozinha foi vendido a R$ 111,80 por botijão de 13 quilos, 0,3% abaixo do registrado na semana anterior.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos