Mercado fechado
  • BOVESPA

    112.764,26
    +3.046,32 (+2,78%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.853,37
    +392,82 (+0,81%)
     
  • PETROLEO CRU

    91,88
    -2,46 (-2,61%)
     
  • OURO

    1.818,90
    +11,70 (+0,65%)
     
  • BTC-USD

    24.566,40
    +636,98 (+2,66%)
     
  • CMC Crypto 200

    574,64
    +3,36 (+0,59%)
     
  • S&P500

    4.280,15
    +72,88 (+1,73%)
     
  • DOW JONES

    33.761,05
    +424,38 (+1,27%)
     
  • FTSE

    7.500,89
    +34,98 (+0,47%)
     
  • HANG SENG

    20.175,62
    +93,19 (+0,46%)
     
  • NIKKEI

    28.546,98
    +727,65 (+2,62%)
     
  • NASDAQ

    13.580,00
    +268,75 (+2,02%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2024
    -0,1213 (-2,28%)
     

Gasolina cai nos postos em dezembro após sequência de 19 meses de alta, diz ValeCard

·1 min de leitura
Posto de gasolina no Rio de Janeiro

SÃO PAULO (Reuters) - O preço médio da gasolina nos postos de combustíveis do Brasil caiu 1,14% em dezembro ante o mês anterior, depois de um ano e sete meses de altas consecutivas, disse nesta quinta-feira a empresa de soluções de gestão de frotas ValeCard.

Segundo levantamento da companhia, o valor médio do combustível nas bombas atingiu 6,918 reais por litro entre os dias 1º e 29 de dezembro.

Em maio de 2020, último mês a registrar baixa no preço do combustível antes desta queda, o valor médio estava em 4,01 reais por litro.

O recuo ocorreu após uma redução de 3% no preço médio da Petrobras, em meados do mês, e também na esteira reduções no valor do etanol, nas usinas paulistas, desde novembro.

A ValeCard monitora os preços do combustível por meio das transações realizadas com seu cartão de abastecimento em cerca de 25 mil estabelecimentos credenciados.

O levantamento de dezembro mostrou uma queda do valor do combustível em 18 Estados e no Distrito Federal. As maiores baixas foram registradas no Distrito Federal (-4,24%), Rio Grande do Norte (-3,27%), e Goiás (-2,59%).

Entre os Estados que registraram alta de preços no mês, destacam-se Amapá (2,87%), Roraima (2,02%) e Rondônia (0,70%).

(De Letícia Fucuchima)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos