Mercado fechado
  • BOVESPA

    128.405,35
    +348,13 (+0,27%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.319,57
    +116,77 (+0,23%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,50
    +0,46 (+0,65%)
     
  • OURO

    1.763,90
    -10,90 (-0,61%)
     
  • BTC-USD

    35.380,53
    -435,29 (-1,22%)
     
  • CMC Crypto 200

    888,52
    -51,42 (-5,47%)
     
  • S&P500

    4.166,45
    -55,41 (-1,31%)
     
  • DOW JONES

    33.290,08
    -533,37 (-1,58%)
     
  • FTSE

    7.017,47
    -135,96 (-1,90%)
     
  • HANG SENG

    28.801,27
    +242,68 (+0,85%)
     
  • NIKKEI

    28.964,08
    -54,25 (-0,19%)
     
  • NASDAQ

    14.103,00
    -62,50 (-0,44%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0361
    +0,0736 (+1,23%)
     

Gargalos no fornecimento causam queda nas encomendas industriais alemãs em abril

·1 minuto de leitura
Fábrica da Volkswagen em Wolfsburg, Alemanha

BERLIM (Reuters) - As encomendas industriais alemãs caíram inesperadamente em abril devido à queda na demanda interna, mostraram dados nesta segunda-feira, uma vez que interrupções na cadeia de suprimentos prejudicaram os fabricantes na maior economia da Europa.

A Agência Federal de Estatísticas do país informou que as encomendas de bens industriais caíram 0,2% em dado ajustado sazonalmente, a primeira queda em 2021 após três aumentos consecutivos.

A leitura foi de encontro à previsão da Reuters de um aumento de 1,0% e veio depois de um crescimento revisado para cima de 3,9% em março.

Os dados mostraram que a demanda interna diminuiu 4,3%, enquanto a demanda externa aumentou 2,7%.

Tanto os bens de consumo quanto os de capital registraram alta, enquanto os bens intermediários caíram 1%, mostraram os dados.

A economia alemã contraiu 1,8% no primeiro trimestre, uma vez que as restrições do lockdown em vigor desde novembro diminuíram os gastos das famílias e a escassez de matéria-prima criou gargalos na produção.

Carsten Brzeski, chefe global de macroeconomia do ING, vinculou a ligeira queda nos pedidos a interrupções na cadeia de suprimentos que foram acentuadas pelo bloqueio do Canal de Suez no início de abril.

"Após o início de um segundo trimestre muito decepcionante, com as vendas no varejo caindo 5,5% no comparativo mensal em abril, os dados sugerem que a recuperação esperada da economia alemã foi mais lenta que o esperado" escreveu Brzeski em nota.

(Por Joseph Nasr)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos