Mercado abrirá em 3 h 18 min

Gamer Girl é novo jogo filmado que une horror e streaming de games

Rafael Arbulu

Os jogos cinemáticos (FMV, ou Full Motion Videogame) parecem estar ganhando popularidade: depois da Sony disponibilizar Erica gratuitamente aos assinantes da PlayStation Plus no mês de julho, foi a vez da Wales Interactive anunciar Gamer Girl, cujo lançamento está previsto para setembro no PC, PlayStation 4, Xbox One e Nintendo Switch.

O título coloca o jogador na pele de um moderador dos canais sociais de uma famosa streamer de jogos e tem uma premissa simplista, mas com uma camada um pouco mais detalhada do que essa primeira impressão: segundo a divulgação da empresa, você será responsável por ser o contato pessoal da influenciadora “Abicake99” (Alexandra Burton), monitorando seus chats, respondendo mensagens, premiando ou banindo usuários e até aconselhando a personalidade famosa em suas escolhas e decisões de interação. Conforme seu desempenho, você consegue benefícios no formato de novas habilidades e recursos de gestão de comunidade, ou “Abicake” acaba te demitindo.

Há também uma parte de survival horror no jogo, já que, além de cuidar dos canais sociais da streamer, você também terá de cuidar de sua segurança na vida real. Pela narrativa, lidar com um stalker que resolve perseguir “Abbycakes” será uma das missões contínuas do jogo. Até mesmo porque, pela sinopse da narrativa de Gamer Girl, a própria Abby também está de olho nesse assediador por suspeitar que ele seja responsável pelo sumiço de uma amiga - outra streamer chamada “Becky”.

Segundo a divulgação feita pela Wales Interactive, o jogo é “o primeiro de seu tipo” no sentido de que todas as cenas são improvisadas pelos atores, então é seguro presumir que, ao contrário de outras produções do estúdio (que é responsável por Late Shift, Maid of Sker, The Complex e Soul Axiom), Gamer Girl seguirá um roteiro apenas parcialmente determinado:

“Gamer Girl é o primeiro jogo em live action que foi inteiramente improvisado pelo seu elenco, em um estilo de produção que se assemelha a filmes como A Bruxa de Blair e Atividade Paranormal. Os atores reagiram a uma corrente de chat pré-criada e até mesmo instâncias de chat ao vivo, tudo escrito pelos nossos roteiristas simultaneamente às filmagens”, diz o comunicado de lançamento.

O gênero FMV de jogos é comumente atrelado a estúdios e desenvolvedores independentes que costumam gozar de uma liberdade criativa maior do que grandes publishers, então a premissa de Gamer Girl parece ser interessante, além de abordar um assunto bastante importante: o assédio que influenciadoras mulheres sofrem na internet.

Vale ficar de olho quando o jogo chegar para saber se ele corresponderá às expectativas ou se teremos mais um Quiet Man (ainda não te perdoamos por isso, Square Enix).

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: