Mercado abrirá em 4 h 47 min
  • BOVESPA

    122.038,11
    +2.117,11 (+1,77%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.249,02
    +314,12 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,29
    +0,39 (+0,60%)
     
  • OURO

    1.834,30
    +3,00 (+0,16%)
     
  • BTC-USD

    58.209,39
    +237,61 (+0,41%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.549,74
    +113,96 (+7,94%)
     
  • S&P500

    4.232,60
    +30,98 (+0,74%)
     
  • DOW JONES

    34.777,76
    +229,26 (+0,66%)
     
  • FTSE

    7.138,16
    +8,45 (+0,12%)
     
  • HANG SENG

    28.560,86
    -49,79 (-0,17%)
     
  • NIKKEI

    29.518,34
    +160,52 (+0,55%)
     
  • NASDAQ

    13.670,75
    -39,00 (-0,28%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3645
    -0,0006 (-0,01%)
     

Galaxy S21 Ultra tem áudio razoável e fica fora do top 10 do DXOMARK

Felipe Junqueira
·3 minuto de leitura

O Galaxy S21 Ultra não conseguiu uma boa pontuação no teste de áudio do DXOMARK, ficando bem longe do top 10 da plataforma. Foram analisadas tanto a versão Exynos quanto a versão Snapdragon do dispositivo, com resultados semelhantes.

O celular da Samsung alcançou média 70, com destaque para os artefatos tanto na reprodução quanto na gravação. O dispositivo ficou atrás de vários outros modelos já testados pela plataforma, cujo ranking é liderado pelo Black Shark 4 Pro, com 81 pontos, seguido pelo Xiaomi Mi 10S, com 80 pontos, e o ROG Phone 5, com 79 pontos. O Mi 10 Pro é o quarto com 76 pontos, e aí vêm ROG Phone 3 e Huawei Mate 20 X, com 75, iPhone 12 Pro Max, iPhone XS Max e Oppo Fid X2 Pro, com 74.

Antes do Galaxy 21 Ultra ainda aparecem vários celulares da Apple: com 73 pontos tem os iPhone 12 e 12 mini, enquanto iPhone 11 Pro Max, 11 e SE (2020) fecham a lista de 14 modelos que tiveram pontuação superior ao Galaxy S21 Ultra.

Resumindo, os testes destacaram um bom desempenho geral, quase nenhum artefato discernível e dinâmica muito bom em volume baixo em reprodução de áudio. Na captação, o timbre em alto nível de pressão tem bom desempenho, há poucos artefatos e a relação sinal-ruído foi boa nos casos testados.

Como contras em reprodução, ficaram alguns detalhes, principalmente o volume mínimo ser muito baixo. Na gravação, o uso de um canal de áudio impacta na amplitude e localizabilidade do som, há falta de equilíbrio tonal por conta de agudos e graves discretos e um ruído de fundo pouco realista.

Resultados foram idênticos na variante Exynos e Snapdragon (Imagem: Reprodução/DXOMARK)
Resultados foram idênticos na variante Exynos e Snapdragon (Imagem: Reprodução/DXOMARK)

Galaxy S21 Ultra em reprodução de áudio

Balanço e localizabilidade são bons, apesar de apresentarem algumas falhas. A performance dinâmica é decente em volumes baixos, e o volume máximo é alto o bastante para se escutar em praticamente qualquer ambiente. A quase ausência de artefatos gerou uma pontuação de 93 neste critério, o que deixa o S21 Ultra empatado com o ROG Phone 5 no quesito, melhor resultado na plataforma até o momento.

Porém, o DXOMARK observa que o balanço tonal tem um foco nos médios, o que prejudica um pouco o timbre, enquanto extensões de pico alto e baixo ficam limitadas. O celular também falha em ajudar o ouvido humano a localizar os sons, que ainda possuem graves pouco precisos e com pouco vigor. O nível mínimo do volume é muito baixo, ficando com alguns detalhes inaudíveis, e há distorções em volumes muito altos ao jogar.

Galaxy S21 Ultra em gravação de áudio

Além do já citado bom equilíbrio tonal em altos níveis de pressão sonora, o Galaxy S21 Ultra também se destacou na gravação de áudio com agudos precisos, médios naturais e boa presença dos graves, ao menos no teste de captação de um concerto de música eletrônica. Dinâmica precisa e o envelope de onda é bastante preciso. Relação sinal-ruído também apresentou ótimos resultados, e o volume da gravação é bom, com poucos artefatos.

Porém, gravar em ambientes de som irregulares pode prejudicar o equilíbrio tonal com uma ausência de graves e agudos. O som é altamente focado nos médios, com desempenho de amplitude limitado principalmente nas selfies, e nos vídeos em “vida real”, as vozes parecem muito distantes, além do envelope acústico pouco realista, assim como o som de fundo.

Veja a análise do Canaltech para o Galaxy S21 Ultra:

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: