Mercado fechará em 6 h 4 min
  • BOVESPA

    110.104,87
    -475,92 (-0,43%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.513,70
    +209,66 (+0,41%)
     
  • PETROLEO CRU

    110,72
    +0,95 (+0,87%)
     
  • OURO

    1.849,80
    -15,60 (-0,84%)
     
  • BTC-USD

    29.628,39
    +523,01 (+1,80%)
     
  • CMC Crypto 200

    659,61
    -11,39 (-1,70%)
     
  • S&P500

    3.949,42
    +7,94 (+0,20%)
     
  • DOW JONES

    31.966,15
    +37,53 (+0,12%)
     
  • FTSE

    7.526,51
    +42,16 (+0,56%)
     
  • HANG SENG

    20.171,27
    +59,17 (+0,29%)
     
  • NIKKEI

    26.677,80
    -70,34 (-0,26%)
     
  • NASDAQ

    11.826,00
    +55,00 (+0,47%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1522
    -0,0200 (-0,39%)
     

Galaxy A53 pode ter apenas chip Exynos e desempenho inferior ao A52s

·2 min de leitura

A Samsung fez um movimento arriscado quando descontinuou a linha Galaxy J para investir mais na Galaxy A. Passados os anos, a estratégia se mostrou certeira, e a família de intermediários deve receber em breve o Galaxy A53, que tem a responsabilidade manter alta a popularidade que herdará dos Galaxy A52 e Galaxy A52s.

Porém, um desejo da Samsung deve mudar um pouco as coisas no aparelho. Desde 2021 a sul-coreana comenta sobre a intenção de aumentar o número de produtos com seus chips próprios, os Exynos. E parece que o Galaxy A53 foi escolhido como novo carro-chefe do SoC proprietário.

Todos os modelos do Galaxy A53 poderiam ser equipados com o Exynos 1200. Até então a Samsung já havia lançado alguns Galaxy A com chips MediaTek e Exynos, mas os modelos mais avançados contavam com plataformas da Qualcomm.

Possível visual do Galaxy A53 branco (Imagem: Steve Hemmerstoffer/Digit)
Possível visual do Galaxy A53 branco (Imagem: Steve Hemmerstoffer/Digit)

O Exynos 1200 ainda não foi oficializado pela Samsung, mas rumores apontam que ele contará com dois núcleos de alto desempenho a 2,4 GHz e seis a 2 GHz. Ele não terá GPU AMD como o Exynos 2200, sendo usada a GPU Mali-G68.

Os resultados no Geekbench são modestos: 743 em single-core e 1900 em multi-core. O problema maior é que esses números são inferiores aos registrados pelo próprio Galaxy A52s com Snapdragon 778G, que chega a bater a marca de 2700 pontos em multi-core. Essa discrepância pode se dar em virtude do novo Exynos ainda estar em testes internos.

Por enquanto a Samsung não confirma essa nova estratégia. Mas ela pode acontecer em um momento no qual a linha Galaxy S com Snapdragon deve chegar a mais mercados — incluindo o Brasil. Tradicionalmente os flagships chegam aqui com SoC Exynos.

O Galaxy A53 deve preservar boas características dos seus sucessores, como uma tela AMOLED, conectividade 5G, Wi-Fi de 5 GHz, e conjunto quádruplo de câmeras traseiras. Espera-se, também, leitor de impressões digitais sob a tela.

Até o Android 15

Saindo de fábrica com Android 12 e One UI 4, outra boa vantagem é o suporte de software: a Samsung promete três upgrades de SO para seus smartphones mais avançados, e quatro anos de pacotes de segurança. Assim, é provável que o Galaxy A53 chegue ao Android 15, e siga protegido até 2026.

O Galaxy A53 deve ser oficializado ainda no primeiro semestre de 2022. Tipicamente a Samsung dá a devida atenção aos intermediários após anunciar a linha Galaxy S do ano, o que vai acontecer em fevereiro.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos