Mercado fechado
  • BOVESPA

    112.764,26
    +3.046,32 (+2,78%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.853,37
    +392,82 (+0,81%)
     
  • PETROLEO CRU

    91,88
    -2,46 (-2,61%)
     
  • OURO

    1.818,90
    +11,70 (+0,65%)
     
  • BTC-USD

    24.485,44
    +375,11 (+1,56%)
     
  • CMC Crypto 200

    574,64
    +3,36 (+0,59%)
     
  • S&P500

    4.280,15
    +72,88 (+1,73%)
     
  • DOW JONES

    33.761,05
    +424,38 (+1,27%)
     
  • FTSE

    7.500,89
    +34,98 (+0,47%)
     
  • HANG SENG

    20.175,62
    +93,19 (+0,46%)
     
  • NIKKEI

    28.546,98
    +727,65 (+2,62%)
     
  • NASDAQ

    13.580,00
    +268,75 (+2,02%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2024
    -0,1213 (-2,28%)
     

Galáxia no início do universo tem rotação bem mais lenta que a Via Láctea

Uma equipe de astrônomos observou uma galáxia de 13,28 bilhões de anos e descobriu que sua velocidade de rotação é muito lenta, se comparada com as galáxias evoluídas como a nossa Via Láctea. O estudo sugere que as primeiras galáxias no cosmos só ganharam velocidade após se fundirem com materiais à medida que evoluíam.

A galáxia MACS1149-JD1 está tão distante que sua luz demorou mais de 13 bilhões de anos para chegar até nós. Isso significa que, ao observá-la, os astrônomos estão vendo como ela se parecia na época, cerca de apenas 500 milhões de anos após o Big Bang. Estudar galáxias como esta é importante para compreender como elas se formaram e evoluíram.

No caso da MACS1149-JD1, foi necessário observá-la por meio de uma lente gravitacional — efeito que amplia a luz de uma galáxia ao fundo quando há outro objeto massivo em primeiro plano, como aglomerados de galáxias mais próximos. Isso porque além de muito distante, seu brilho é muito fraco para observá-la diretamente.

Os estudos concluíram que o objeto tem apenas 3.000 anos-luz de diâmetro. Para fins de comparação, a Via Láctea, tem cerca de 100.000 anos-luz de diâmetro. Mas o que realmente chamou a atenção foi a velocidade da MACS1149-JD1: apenas 50 km/s, enquanto a nossa própria galáxia gira a 200 km/s.

Essa descoberta pode implicar em um fator interessante nas galáxias do universo jovem: é provável que elas tenham surgido com pouca velocidade de rotação e só ganharam mais momento angular (grandeza física associada à energia de rotação de um objeto) à medida que acumulam mais matéria, principalmente por meio da colisão com outras galáxias.

A pesquisa foi publicada na revista The Astrophysical Journal Letters.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos