Mercado fechará em 50 mins
  • BOVESPA

    112.032,91
    +2.314,97 (+2,11%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.625,26
    +164,71 (+0,34%)
     
  • PETROLEO CRU

    91,98
    -2,36 (-2,50%)
     
  • OURO

    1.817,80
    +10,60 (+0,59%)
     
  • BTC-USD

    24.165,02
    +12,97 (+0,05%)
     
  • CMC Crypto 200

    574,59
    +3,31 (+0,58%)
     
  • S&P500

    4.269,29
    +62,02 (+1,47%)
     
  • DOW JONES

    33.695,63
    +358,96 (+1,08%)
     
  • FTSE

    7.500,89
    +34,98 (+0,47%)
     
  • HANG SENG

    20.175,62
    +93,19 (+0,46%)
     
  • NIKKEI

    28.546,98
    +727,65 (+2,62%)
     
  • NASDAQ

    13.541,25
    +230,00 (+1,73%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1992
    -0,1245 (-2,34%)
     

Galáxia duplicada por lente gravitacional ganha formato "cativante"

O telescópio Hubble registrou mais uma galáxia com efeito de lente gravitacional; dessa vez, com um resultado "cativante", nas palavras da Agência Espacial Europeia (ESA). Ao ter sua luz distorcida por um objeto massivo mais próximo, a galáxia SGAS J143845+145407 foi duplicada, como se estivesse na frente de um espelho.

Lentes gravitacionais são um fenômeno muito útil para os astrônomos porque, às vezes, revelam objetos muito distantes e fracos, difíceis (ou até impossíveis) de observar de outro modo. Por isso, encontrar uma delas em imagens de telescópios é sempre algo algo positivo. Por exemplo, na primeira imagem colorida do James Webb há galáxias muito afastadas ampliadas por lente gravitacional.

Nem sempre o resultado da lente é igual. Às vezes, a imagem da galáxia de fundo é replicada várias vezes ao redor da lente, enquanto outras lentes exibem a luz que vem de longe como um arco distorcido ou até mesmo um anel. Mesmo nesse segundo caso, com a galáxia de fundo completamente esticada e retorcida na imagem, os cientistas conseguem se aproximar do formato real por meio de softwares e algoritmos.

Com a galáxia SGAS J143845+145407, o resultado foi interessante não somente aos olhos dos cientistas, mas do público geral também. A lente duplicou o objeto no centro da imagem e lhe deu um formato curioso.

A galáxia duplicada pela lente gravitacional, no centro da imagem, também está espelhada (Imagem: Reprodução/ESA/Hubble/NASA/J. Rigby)
A galáxia duplicada pela lente gravitacional, no centro da imagem, também está espelhada (Imagem: Reprodução/ESA/Hubble/NASA/J. Rigby)

Para os astrônomos, o mais importante da distorção de uma lente gravitacional é a ampliação, pois permite coletar informações como distância, idade, densidade e brilho da galáxia de fundo.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos