Mercado fechará em 6 h 43 min
  • BOVESPA

    101.231,83
    +46,73 (+0,05%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    53.209,10
    +357,68 (+0,68%)
     
  • PETROLEO CRU

    74,21
    +1,01 (+1,38%)
     
  • OURO

    1.964,00
    -9,50 (-0,48%)
     
  • Bitcoin USD

    28.390,68
    +1.497,35 (+5,57%)
     
  • CMC Crypto 200

    619,48
    +376,80 (+155,27%)
     
  • S&P500

    3.971,27
    -6,26 (-0,16%)
     
  • DOW JONES

    32.394,25
    -37,83 (-0,12%)
     
  • FTSE

    7.554,23
    +69,98 (+0,94%)
     
  • HANG SENG

    20.192,40
    +407,75 (+2,06%)
     
  • NIKKEI

    27.883,78
    +365,53 (+1,33%)
     
  • NASDAQ

    12.859,50
    +127,00 (+1,00%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,6112
    +0,0106 (+0,19%)
     

Galáxia devora vizinhas e se torna completamente solitária

Você já se sentiu sozinho no universo? Pois saiba que a galáxia 3C 297, localizada a mais de 9 bilhões de anos-luz de distância da Terra, entende perfeitamente como é essa sensação. Afinal, ela está realmente sozinha no cosmos, sem nenhuma galáxia vizinha — pois devorou todas elas.

Apesar de solitária, a 3C 297 não é silenciosa: trata-se de um quasar, ou seja, possui um buraco negro supermassivo ativo em seu núcleo, se alimentando de matéria e transformando parte dela em dois jatos relativísticos (a velocidade próxima à da luz).

Como consequência da atividade do buraco negro, o quasar emite uma enorme quantidade de radiação na forma de ondas de rádio e raios-X, permitindo a observação por meio de radiotelescópios. E foi assim que a NASA detectou a galáxia solitária, usando seu telescópio de raios-X Chandra.

Além disso, ela tem algumas milhares de “vozes na cabeça”: ao observar a galáxia, os pesquisadores encontraram uma estrutura gigantesca com centenas ou mesmo milhares de galáxias individuais, além de grande abundância de gás aquecido a milhões de graus.

A galáxia 3C 297 está sozinha no universo porque devorou as coleguinhas (Imagem: Reprodução/CXC/Univ. de Turim/V. Missaglia et ai./NASA/ESA/STScI & International Gemini Observatory/NOIRLab/NSF/AURA/NRAO/AUI)
A galáxia 3C 297 está sozinha no universo porque devorou as coleguinhas (Imagem: Reprodução/CXC/Univ. de Turim/V. Missaglia et ai./NASA/ESA/STScI & International Gemini Observatory/NOIRLab/NSF/AURA/NRAO/AUI)

Eles também descobriram que um dos jatos do quasar se dobrou ao interagir com o ambiente ao redor, enquanto o outro se chocou contra o gás ao seu redor e formou um “ponto quente” de raios-X.

Segundo os cientistas, essas são características típicas de um aglomerado de galáxias, embora a 3C 297 seja apenas uma galáxia. Uma possível explicação é que ela seja um “grupo fóssil”, isto é, um estágio de evolução galáctica em que uma delas está se aproximando e se fundindo com outras.

Caso essa hipótese se confirme, a 3C 297 será o grupo fóssil mais distante já encontrado. Antes disso, no entanto, os pesquisadores não podem descartar a possível presença de galáxias anãs ali por perto.

O artigo sobre as descobertas foram publicados no The Astrophysical Journal.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: