Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.843,74
    -2.595,62 (-2,33%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.557,65
    -750,06 (-1,46%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,70
    -1,27 (-1,76%)
     
  • OURO

    1.765,90
    +14,50 (+0,83%)
     
  • BTC-USD

    43.729,04
    -3.781,12 (-7,96%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.086,48
    -47,90 (-4,22%)
     
  • S&P500

    4.357,73
    -75,26 (-1,70%)
     
  • DOW JONES

    33.970,47
    -614,41 (-1,78%)
     
  • FTSE

    6.903,91
    -59,73 (-0,86%)
     
  • HANG SENG

    24.099,14
    -821,62 (-3,30%)
     
  • NIKKEI

    30.500,05
    +176,75 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    14.987,50
    -338,50 (-2,21%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2529
    +0,0535 (+0,86%)
     

25% dos executivos demitiram alguém por gafe no Zoom

·1 minuto de leitura
Erros em reunião virtual incluem entrar em uma chamada atrasado, ter uma conexão ruim, compartilhar acidentalmente informações confidenciais e, claro, não saber quando silenciar a si mesmo. (Jakub Porzycki/NurPhoto via Getty Images)
  • 1 em cada 4 executivos demitiram alguém por gafe durante vídeo chamada

  • Deslizes durante reuniões ficaram comuns devido à pandemia

  • Não fechar o som é uma das falhas mais comuns

Vídeo conferências podem acabar com a sua carreira. Um em quatro executivos já demitiram uma pessoa por alguma gafe durante áudio ou vídeo chamadas. A maioria impôs algum tipo de ação disciplinar por gafes cometidas em reuniões virtuais, revelou uma pesquisa com 200 gerentes de grandes empresas. 

A análise, encomendada pela Vyopta Inc., que ajuda as empresas a gerenciar seus sistemas de comunicação e colaboração no local de trabalho, também descobriu que os executivos não confiam totalmente em um terço de sua equipe para um desempenho eficaz quando trabalham de casa.

Leia também:

Erros em reuniões virtuais incluem entrar em uma chamada atrasado, ter uma conexão ruim, compartilhar acidentalmente informações confidenciais e, claro, não saber quando silenciar a si mesmo.

Os deslizes podem prejudicar as empresas, levando à deserção de clientes, oportunidades de vendas perdidas ou prazos perdidos, concluiu a pesquisa. Mesmo assim, os executivos continuam apoiando o trabalho em casa, e quase 3 em cada 4 pesquisados ​​pela Vyopta, sediada em Austin, Texas, planejam manter ou expandir o número de funcionários autorizados a trabalhar em uma programação híbrida nos próximos 12 meses.

Vyopta disse que a Wakefield Research conduziu a pesquisa entre 30 de julho e 10 de agosto, com foco em 200 executivos em nível de vice-presidente ou superior em empresas com pelo menos 500 funcionários.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos