Mercado fechado

Gaby Amarantos explica fotos sem retoques no Instagram: "Libertação"

Gaby Aramantos. Foto: reprodução/Instagram/gabyamarantos

Em suas redes sociais, Gaby Amarantos não se mostra apenas com superproduções deslumbrantes, mas também gente como a gente, em fotos sem retoques. A cantora afirma que é uma “libertação” aparecer assim para seus seguidores.

Já conhece o Instagram do Yahoo Vida e Estilo? Segue a gente!

“Postei recentemente uma foto com legenda ‘Por que choras, padrão?’. Muitas mulheres postaram fotos com seus corpos do jeito que são, me marcando. É importante transformar em uma corrente para que mais pessoas possam se libertar dessa pressão estética”, afirmou a paraense de 41 anos ao GShow.

Leia também:

Segundo ela, ser inspiração para outras mulheres acontece de forma natural, e a exposição faz parte do próprio processo de autoaceitação: “Sempre fui uma mulher fora do padrão e a pressão estética sempre foi uma parada muito difícil para mim. Para mim é um processo diário”.

Depois de fazer loucuras na juventude para emagrecer, Gaby conta que hoje não se priva de comer o que tem vontade de vez em quando e que mantém a vaidade sem neuras, com massagem modeladora e aparelhinhos não invasivos, por exemplo. Sua meta é chegar aos 80 anos “linda no palco cantando, rebolando, sensualizando e passando uma mensagem para galera se sentir cheia de poder”

Nem sempre, no entanto, a apresentadora do “Saia Justa” está 100% bem resolvida com o corpo. “Me acho gostosa e a parada de se achar para mim ajuda no meu processo de vida, de levantar todos os dias, ter autoestima. É muito importante a gente reafirmar isso. Mesmo nos momentos em que não estou me achando totalmente linda, gostosa e maravilhosa, dou uma respirada, medito e entendo que a beleza tem sua vasta diversidade”, conta ela, que é casada com o inglês Gareth Jones e mãe de Davi.

Gaby conta que a maturidade também a ajudou a ter liberdade sexual, tema da música “Xanalá”, parceria com a Duda Beat. “Lidar bem com a minha sexualidade é um processo que começou de uns anos para cá. Depois da maternidade comecei a entender que o prazer é meu direito e a liberdade de expressar a sexualidade também”, disse.