Mercado abrirá em 3 mins

Gabinete do Japão aprova gastos extras no orçamento e eleva dívida

Primeiro-ministro japonês, Fumio Kishida

Por Tetsushi Kajimoto

TÓQUIO (Reuters) - O gabinete do primeiro-ministro japonês, Fumio Kishida, aprovou nesta terça-feira um segundo gasto extra orçamentário de 29,1 trilhões de ienes (198,54 bilhões de dólares) para um pacote de estímulo econômico neste ano fiscal, grande parte do qual será financiado por novas dívidas adicionais.

Os mais recentes gastos com estímulos destacaram a luta que o governo de Kishida enfrenta para alcançar o crescimento econômico juntamente com a reforma fiscal, deixando o Japão como uma exceção em uma tendência global de reduzir a política de estímulo no modo de crise.

"Não há dúvida de que nossa resposta está tornando a situação fiscal mais severa. Ao sair da resposta excepcional ao coronavírus em uma mudança para a normalização, devemos conduzir uma gestão econômica e fiscal responsável", disse o ministro das Finanças, Shunichi Suzuki, a repórteres após a aprovação do orçamento extra.

O Ministério das Finanças disse que um adicional de 22,8 trilhões de ienes de nova dívida será emitido para ajudar a cobrir o último orçamento suplementar, resultando em um total de novos empréstimos planejados de 62,5 trilhões de ienes neste ano fiscal.

O orçamento extra incluiu medidas para ajudar as famílias a lidar com os custos crescentes de eletricidade, gás e gasolina. Também visa ajudar várias regiões a aproveitar o iene fraco para atrair turistas.

(Reportagem de Tetsushi Kajimoto)