Mercado fechado

Irmã diz que não quer "viver na aba" de Gabigol: "Não estou com a vida ganha"

Amanda Caroline
·4 minutos de leitura
Dhiovanna vive em Santos, no litoral de São Paulo (Foto: Reprodução/Instagram @dhiovannab)
Dhiovanna vive em Santos, no litoral de São Paulo (Foto: Reprodução/Instagram @dhiovannab)

Dhiovanna Barbosa, de 18 anos, é muito próxima do irmão mais velho, Gabriel Barbosa, o Gabigol. “Sempre fui muito ‘dada’ com ele. Quando ele viajava, eu ficava doente, com febre. Tinha que implorar para a comissão técnica devolver o celular para ele na concentração para que eu pudesse falar com ele. Com o tempo, tive que aprender que viver longe dele”, conta em entrevista por vídeo ao Yahoo. A jovem mora em Santos (SP), a 500 km do Rio de Janeiro (RJ), onde o jogador de futebol brilha no Flamengo. Apesar da distância, o atleta se faz presente na vida da influenciadora digital.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 minuto e receba todos os seus e-mails em um só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Instagram, Facebook e Twitter

“Ele diz: ‘Por que não está gravando? Vai gravar alguma coisa’”, conta Dhiovanna aos risos. “Me dá bronca! Qualquer coisa errada que eu posto, ele me manda apagar. Implica tanto...”, revela. Quando os irmãos estão juntos, o assunto nunca é futebol. Eles dividem as paixões por fotografia (curso de Dhiovanna na faculdade) e moda.

Leia também

“Não falamos sobre futebol e aproveitamos os nossos momentos. Nós tiramos fotos diferentes, experimentamos looks, assistimos a filmes e falamos besteiras”, diz a influenciadora. Segundo ela, o atacante também é o seu principal encorajador na carreira. “Meu irmão sempre me falou: ‘Tudo o que faltou para mim não vai faltar para você’, e agradeço muito por isso. Mas o próprio Gabriel me ensinou que tenho que ter a minha vida, os meus sonhos e fazer o que eu quero.”

View this post on Instagram

That’s ma brother dude. | • 🥵😁

A post shared by DB. (@dhiovannab) on

“Quero ter independência”

Dhiovanna aplaude de pé as conquistas de Gabigol, mas nega o título de “irmã de jogador” no sentido pejorativo, como se vivesse na sombra do atleta.

“Obviamente, tenho muito orgulho de ser irmã do Gabriel, mas não sou só isso. Muitos pensam que estou com a vida ganha por causa dele. Não estou com a vida ganha. Não quero viver na aba dele. Meus pais sempre me disseram para fazer faculdade e me deixaram muito claro que eu não viveria do meu irmão. Essa é a carreira dele e eu quero ter independência”, afirma.

Por isso, ela investe na internet. A profissão influencer não foi planejada e Dhiovanna pretende se especializar em marketing para fazer o negócio crescer — ainda mais. Hoje, a jovem tem 136 mil seguidores no Instagram e faz “publis” para marcas de roupas na rede social.

View this post on Instagram

• 🌊🐬

A post shared by DB. (@dhiovannab) on

“Confesso que não ganho muito com as parcerias porque não tenho muitos seguidores. Mas tenho, sim, uma condição boa com o meu próprio trabalho, consigo me manter sem depender tanto dos outros”, explica.

Eventualmente, Dhiovanna pensa em ajudar o irmão nessa área. “Se eu trabalhar com ele, meu foco será o trabalho, e não ‘ser irmã’. Meu irmão é meio lerdo para essas coisas, também quero ajudá-lo”, brinca.

“Tenho que lembrar de onde vim”

Dhiovanna diz que evita a ostentação nas redes sociais. “Não gosto de esbanjar e não tenho a necessidade de mostrar o que eu tenho e o que posso ter. Muitos não têm a mesma condição que a minha e tenho plena noção disso. Posto o que eu gosto e o que sei que vai inspirar meus seguidores”, garante. Quando o assunto é moda, a influenciadora afirma que não tem apego por marcas de luxo e usa de tudo, inclusive peças baratinhas.

“Não sou um banco como pensam. Não é bem assim”, dispara. “Só gasto com o que eu realmente gosto e não sou consumista. Afinal, o dinheiro é suado”, completa.

View this post on Instagram

Oh, hey! | • 😅😚

A post shared by DB. (@dhiovannab) on

Se hoje dinheiro não é uma questão delicada para família, antes era e Dhiovanna tem consciência disso. “Não presenciei tantos momentos ruins de crise, mas meu irmão sim e sei a visão deles. Toda a minha família mora em favela e respeito muito de onde eu vim”, declara.

“Quando você vive no meio de muita gente que se acha muito, acaba afetando a mente. Você pensa: ‘ah, por que eu vou ser diferente disso?’ Só que meus pais me ensinaram desde o início que tenho que lembrar de onde eu vim porque nem todo mundo tem as mesmas chances que eu”, finaliza.

Veja mais: Jeniffer Nascimento desabafa sobre racismo