Mercado fechado
  • BOVESPA

    129.264,96
    +859,61 (+0,67%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.315,69
    -3,88 (-0,01%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,44
    -0,22 (-0,30%)
     
  • OURO

    1.785,20
    +2,30 (+0,13%)
     
  • BTC-USD

    31.780,02
    -3.900,01 (-10,93%)
     
  • CMC Crypto 200

    762,93
    -87,41 (-10,28%)
     
  • S&P500

    4.224,79
    +58,34 (+1,40%)
     
  • DOW JONES

    33.876,97
    +586,89 (+1,76%)
     
  • FTSE

    7.062,29
    +44,82 (+0,64%)
     
  • HANG SENG

    28.489,00
    -312,27 (-1,08%)
     
  • NIKKEI

    28.010,93
    -953,15 (-3,29%)
     
  • NASDAQ

    14.140,50
    +10,50 (+0,07%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9723
    -0,0030 (-0,05%)
     

G7 fecha acordo para suspender financiamento internacional ao carvão

·2 minuto de leitura
Usina a carvão em Belchatow, na Polônia

Por Markus Wacket e Elizabeth Piper

BERLIM/LONDRES (Reuters) - As sete maiores economias desenvolvidas do mundo concordaram nesta sexta-feira em interromper até o final deste ano o financiamento internacional a projetos de carvão emissores de carbono, além de eliminar gradualmente o suporte a todos os combustíveis fósseis, visando atender às metas globais relacionadas a mudanças climáticas.

A interrupção do financiamento a combustíveis fósseis é vista como um grande passo que o mundo pode dar para limitar o aumento das temperaturas globais a 1,5 grau Celsius acima do período pré-industrial --o que, segundo cientistas, evitaria os impactos mais devastadores da mudança climática.

A participação do Japão no grupo que apoia o fim do financiamento internacional a projetos de carvão em um prazo tão curto significa que os países que ainda dão suporte à matéria-prima, como a China, estão cada vez mais isolados e poderão enfrentar mais pressão para abandonar seu uso.

Em um comunicado, visto e antecipado pela Reuters, o grupo de sete países --Estados Unidos, Reino Unido, Canadá, França, Alemanha, Itália e Japão--, acrescidos da União Europeia, informou que "os investimentos internacionais em carvão 'unabated' (que não têm suas emissões compensadas) precisam acabar agora".

"Nós nos comprometemos a tomar medidas concretas para uma interrupção absoluta de novos apoios governamentais à geração de energia térmica por carvão 'unabated' internacionalmente até o fim de 2021, inclusive por meio da Assistência Oficial ao Desenvolvimento, financiamentos a exportações, investimentos e apoio à promoção financeira e comercial."

As nações do G7 também concordaram em "trabalhar com outros parceiros globais para acelerar o desenvolvimento de veículos com emissão zero", descarbonizando o setor de energia "de forma esmagadora" na década de 2030 e se afastando do financiamento internacional a combustíveis fósseis, embora prazos para o cumprimento desse objetivo não tenham sido mencionados.

O enviado dos EUA para o clima, John Kerry, pediu que os países do G20 (grupo das 20 maiores economias do mundo) se unam às medidas definidas pelo G7.

(Reportagem de Markus Wacket, em Berlim, e Guy Faulconbridge e Elizabeth Piper, em Londres; reportagem adicional de Stephen Jewkes, em Milão)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos