Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.035,17
    -2.221,19 (-1,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.592,91
    +282,64 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,66
    -1,87 (-2,94%)
     
  • OURO

    1.733,00
    -42,40 (-2,39%)
     
  • BTC-USD

    43.471,77
    -3.388,99 (-7,23%)
     
  • CMC Crypto 200

    912,88
    -20,25 (-2,17%)
     
  • S&P500

    3.811,15
    -18,19 (-0,48%)
     
  • DOW JONES

    30.932,37
    -469,64 (-1,50%)
     
  • FTSE

    6.483,43
    -168,53 (-2,53%)
     
  • HANG SENG

    28.980,21
    -1.093,96 (-3,64%)
     
  • NIKKEI

    28.966,01
    -1.202,26 (-3,99%)
     
  • NASDAQ

    12.905,75
    +74,00 (+0,58%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7583
    +0,0194 (+0,29%)
     

G7 diz que vai conter políticas não voltadas ao mercado da China para garantir livre comércio

·1 minuto de leitura
Chanceler alemã, Angela Merkel, participa de reunião virtual do G7

(Reuters) - Os líderes do Grupo dos Sete disseram nesta sexta-feira que buscarão uma abordagem coletiva para lidar com a China de forma a combater as políticas e práticas "não orientadas ao mercado" e garantir um comércio global multilateral justo.

"Com o objetivo de apoiar um sistema econômico global justo e mutuamente benéfico para todas as pessoas, vamos nos envolver com outras partes, especialmente países do G20 e incluindo grandes economias como a China", disse o G7 após uma reunião virtual de líderes.

"Como líderes, vamos consultar uns aos outros sobre abordagens coletivas para lidar com políticas e práticas não orientadas para o mercado, e vamos cooperar com outros para tratar de questões globais importantes que afetam todos os países."

O G7 disse que aprofundará a cooperação na resposta sanitária à Covid-19 e explorará um tratado global de saúde.

"Vamos: defender economias e sociedades abertas; promover resiliência econômica global; aproveitar a economia digital com fluxo livre de dados com confiança", disse o grupo, cuja influência econômica combinada é de 40 trilhões de dólares -- pouco menos da metade da economia global.

O G7 disse que vai "cooperar para um sistema comercial multilateral modernizado, mais livre e mais justo, que reflita nossos valores e proporcione um crescimento equilibrado e com uma Organização Mundial do Comércio reformada em seu centro" e se esforçar para "chegar a uma solução consensual para a tributação internacional em meados de 2021 dentro da OCDE."