Mercado fechará em 14 mins
  • BOVESPA

    123.570,11
    +1.054,37 (+0,86%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.664,70
    +795,22 (+1,56%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,59
    -0,67 (-0,94%)
     
  • OURO

    1.810,10
    -8,00 (-0,44%)
     
  • BTC-USD

    38.270,96
    -1.179,75 (-2,99%)
     
  • CMC Crypto 200

    933,92
    -9,52 (-1,01%)
     
  • S&P500

    4.419,38
    +32,22 (+0,73%)
     
  • DOW JONES

    35.096,56
    +258,40 (+0,74%)
     
  • FTSE

    7.105,72
    +24,00 (+0,34%)
     
  • HANG SENG

    26.194,82
    -40,98 (-0,16%)
     
  • NIKKEI

    27.641,83
    -139,19 (-0,50%)
     
  • NASDAQ

    15.043,00
    +90,25 (+0,60%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1605
    +0,0164 (+0,27%)
     

G20 vai pedir que FMI reserve incentivo a países vulneráveis

·1 minuto de leitura
Logo do FMI em sua sede, em Washington

Por Francesco Guarascio

VENEZA (Reuters) - Os ministros das Finanças do G20 vão fazer um apelo para que o Fundo Monetário Internacional encontre rapidamente uma maneira para países direcionarem recursos do FMI que não precisam para nações que de fato necessitam, segundo a mais recente versão do comunicado da reunião entre eles em Veneza.

O FMI afirmou na sexta-feira que o seu comitê executivo havia apoiado a alocação de 650 bilhões de dólares de Direitos Especiais de Saque (DES), avançando a distribuição dos recursos aos 190 membros do FMI na direção de uma conclusão planejada para o fim de agosto.

"Para ampliar de maneira significativa o impacto da alocação, pedimos que o FMI rapidamente apresente opções viáveis para que países voluntariamente canalizem parte do seus DES para ajudar países vulneráveis", afirma o comunicado do G20, que, segundo duas fontes, deve ser publicado sem altrerações pelos ministros da reunião em Veneza.

"Pedimos contribuições de todos os países que podem fazê-las para alcançarmos um ambicioso objetivo de ajudar os países vulneráveis", afirma.

Alguns países, incluindo França e Estados Unidos, propuseram que adicionais 100 bilhões de dólares em DES que países ricos receberão sejam redirecionados para países mais pobres.

Com a pandemia afetando as finanças de países em desenvolvimento, o G20 concordou ano passado em suspender os pagamentos do serviço das dívidas de 45 países. Estimados 4,6 bilhões de dólares foram empurrados para o primeiro semestre de 2021.

Como alguns países necessitam de um alívio ainda maior de dívida, o G20 também concordou em um parâmetro comum para reestruturar a dívida dos países, sob o qual Chade, Etiópia e Zâmbia já pediram ajuda.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos