Mercado fechado
  • BOVESPA

    101.879,92
    -934,11 (-0,91%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.758,41
    -37,89 (-0,08%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,82
    -3,13 (-4,47%)
     
  • OURO

    1.774,90
    -10,30 (-0,58%)
     
  • BTC-USD

    57.543,09
    -624,16 (-1,07%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.464,22
    +21,45 (+1,49%)
     
  • S&P500

    4.573,56
    -81,71 (-1,76%)
     
  • DOW JONES

    34.523,87
    -612,07 (-1,74%)
     
  • FTSE

    7.059,45
    -50,50 (-0,71%)
     
  • HANG SENG

    23.475,26
    -376,98 (-1,58%)
     
  • NIKKEI

    27.821,76
    -462,16 (-1,63%)
     
  • NASDAQ

    16.142,50
    -248,25 (-1,51%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3676
    +0,0384 (+0,61%)
     

Fux vota favoravelmente à constitucionalidade do Marco do Saneamento

·1 min de leitura

SÃO PAULO (Reuters) - O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, votou à favor da constitucionalidade do Marco do Saneamento, informou a corte. O STF retomou nesta quinta-feira o julgamento de quatro ações que questionam a legalidade do texto que abriu caminho para uma série de concessões no setor.

Apesar de ter retomado o assunto, Fux, relator da matéria, foi o único a apresentar seu voto, informou o STF, e o julgamento vai prosseguir na próxima semana com o voto dos demais ministros.

As ações foram encaminhadas por PDT, PCdoB, Psol e PT e também por Associação Nacional dos Serviços Municipais de Saneamento e Associação Brasileira das Empresas Estaduais de Saneamento.

Segundo o STF, a argumentação principal das ações contra o marco legal do setor é que as novas regras podem criar um monopólio do setor privado nos serviços de fornecimento de água e esgoto, em prejuízo da universalização do acesso e da modicidade de tarifas.

Entre os objetivos estabelecidos no marco está a universalização dos serviços de água no país até o final de 2033. Uma série de leilões bilionários no setor já foram realizados desde a aprovação do marco em meados do ano passado, incluindo de ativos da fluminense Cedae, que movimentou quase 23 bilhões de reais em abril deste ano.

O STF afirmou que Fux considerou em seu voto uma ação direta de constitucionalidade de 2013 em que o STF se manifestou pela constitucionalidade da instituição de região metropolitana para saneamento básico. "Segundo o relator, em razão do alto custo dos serviços, essa forma de gestão beneficia os municípios mais pobres", afirmou o STF em comunicado à imprensa.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos