Mercado fechado
  • BOVESPA

    101.259,75
    -658,25 (-0,65%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.707,72
    +55,52 (+0,14%)
     
  • PETROLEO CRU

    39,78
    -0,07 (-0,18%)
     
  • OURO

    1.903,40
    -1,80 (-0,09%)
     
  • BTC-USD

    13.033,20
    +15,68 (+0,12%)
     
  • CMC Crypto 200

    260,05
    -1,40 (-0,54%)
     
  • S&P500

    3.465,39
    +11,90 (+0,34%)
     
  • DOW JONES

    28.335,57
    -28,13 (-0,10%)
     
  • FTSE

    5.860,28
    +74,63 (+1,29%)
     
  • HANG SENG

    24.918,78
    +132,68 (+0,54%)
     
  • NIKKEI

    23.516,59
    +42,29 (+0,18%)
     
  • NASDAQ

    11.669,25
    +5,75 (+0,05%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6645
    +0,0544 (+0,82%)
     

Fux pauta para quarta-feira julgamento sobre afastamento de Chico Rodrigues

Luísa Martins
·1 minuto de leitura

O pedido de pauta havia sido feito pelo relator do caso e autor da decisão, ministro Luís Roberto Barroso O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luiz Fux, agendou para quarta-feira (21) o julgamento sobre o afastamento, por 90 dias, do senador Chico Rodrigues (DEM-RR). O pedido de pauta havia sido feito pelo relator do caso e autor da decisão, ministro Luís Roberto Barroso. Na quinta-feira (15), Barroso determinou o afastamento do senador, então vice-líder do governo Jair Bolsonaro na Casa, por suspeitas de lavagem de dinheiro e embaraço à organização criminosa. Ele foi alvo de operação da Polícia Federal (PF), que localizou R$ 33,1 mil escondidos em suas partes íntimas. Mesmo que o regimento interno do STF não exija ratificação para determinações cautelares em investigações contra parlamentares, Barroso decidiu submeter o caso à avaliação dos demais, após as controvérsias envolvendo liminares monocráticas na última semana. O afastamento também precisa ser confirmado pelo próprio Senado. Se isso ocorrer, Rodrigues fica impossibilitado de exercer o mandato por um período de três meses. O senador é suspeito de integrar esquema de fraudes relacionadas à aquisição de kits de testes rápidos para detecção da covid-19. Barroso entendeu que o afastamento era necessário para evitar que ele tentasse atrapalhar as apurações.