Mercado fechado

Futuros do milho na China tocam nível recorde com preocupações sobre oferta

Por Hallie Gu e Shivani Singh
·2 minutos de leitura

Por Hallie Gu e Shivani Singh

PEQUIM (Reuters) - Os futuros de milho na China bateram um novo recorde nesta quarta-feira, com investidores apostando em preços mais altos para o grão por causa de danos à safra causados por tufões este ano e devido aos esforços de Pequim em anos anteriores para reduzir suas gigantescas reservas estatais.

Os futuros de milho mais negociados na bolsa de Dalian, para entrega em janeiro, atingiram 2.566 iuanes (380,70 dólares) por tonelada, o maior valor já registrado.

A produção de milho da China deve cair este ano depois que os tufões destruíram a safra em algumas partes do cinturão do milho no nordeste do país, aumentando ainda mais as preocupações com a oferta depois que Pequim cortou seus enormes estoques estatais nos últimos anos.

A área plantada com milho em algumas regiões da província de Heilongjiang também caiu à medida que os agricultores mudaram para a soja, enquanto a produção das províncias de Liaoning e Jilin deve cair devido à seca, disse Meng Jinhui, analista sênior da Shengda Futures.

"O estoque foi vendido. O mercado espera fortemente que haja escassez de oferta e está ficando altista (nos futuros)", disse Meng.

Neste momento, há uma verdadeira disputa entre compradores por milho, disse Yuan, gerente de uma operação de secagem de grãos em Heilongjiang, o maior produtor de milho do país, onde suprimentos da nova safra recém-colhida começaram a entrar no mercado.

"Muitas pessoas acreditam que os preços vão subir ainda mais", disse Yuan, que se dispôs a ser identificado apenas pelo sobrenome devido à delicadeza do assunto.

Os preços também subiram em outros importantes pólos de milho, incluindo as províncias de Shandong, Hebei e Henan, disseram analistas e traders.

Os preços de compra da nova safra estão pelo menos 30% mais altos do que nos últimos anos, de acordo com o agricultor Song Yongquan, que administra uma cooperativa que cultiva cerca de 67 hectares de milho em Henan.

"Os preços vão gradualmente subir ainda mais", afirmou ele.

(Reportagem de Hallie Gu e Shivani Singh; Edição de Tom Hogue)