Futura renúncia de Monti na Itália faz euro recuar

O euro perdeu força em relação a moedas importantes nesta segunda-feira, após o primeiro-ministro da Itália, Mario Monti, ter anunciado, no fim de semana, sua intenção de renunciar assim que o orçamento do próximo ano do país for aprovado. A notícias pressionaram os bônus do governo da Itália, cujos yields (retorno ao investidor) subiram e anteciparam o prazo das eleições italianas.

A decisão sobre renúncia de Monti ocorreu após o partido do ex-primeiro-ministro da Itália Silvio Berlusconi retirar seu apoio ao atual governo tecnocrata. O mandato parlamentar estava previsto para terminar antes do fim de abril, mas a renúncia antecipada de Monti significa que as eleições poderão ocorrer em fevereiro.

Dados econômicos da Itália contribuíram para o sentimento negativo. O Produto Interno Bruto (PIB) da Itália caiu 0,2% no terceiro trimestre, em relação ao trimestre anterior, e recuou 2,4%, na comparação anual, de acordo com dados finais do Instituto Nacional de Estatísticas (Istat).

Por enquanto, os investidores não estão dispostos a vender agressivamente o euro antes da reunião de política monetária do Federal Reserve (Fed), na quarta-feira (12), onde o presidente do banco, Ben Bernanke, provavelmente, reafirmará o compromisso da autoridade monetária de expansão do seu balanço no ano que vem.

Às 10h40 (de Brasília), o euro estava em US$ 1,2914, de US$ 1,2925 no fim da sexta-feira em Nova York. O dólar estava em 82,23 ienes, de 82,19 ienes. A libra estava em US$ 1,6055, de US$ 1,6036 na sexta-feira. As informações são da Dow Jones.

Carregando...