Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.363,10
    -56,43 (-0,05%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.714,60
    -491,99 (-0,94%)
     
  • PETROLEO CRU

    81,74
    -0,92 (-1,11%)
     
  • OURO

    1.796,50
    -2,30 (-0,13%)
     
  • BTC-USD

    58.397,88
    -2.276,73 (-3,75%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.396,33
    -78,00 (-5,29%)
     
  • S&P500

    4.551,68
    -23,11 (-0,51%)
     
  • DOW JONES

    35.490,69
    -266,19 (-0,74%)
     
  • FTSE

    7.253,27
    -24,35 (-0,33%)
     
  • HANG SENG

    25.628,74
    -409,53 (-1,57%)
     
  • NIKKEI

    28.759,52
    -338,72 (-1,16%)
     
  • NASDAQ

    15.616,50
    +29,25 (+0,19%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4191
    -0,0056 (-0,09%)
     

Furacão Ida vai impactar produção da Shell nos EUA

·1 minuto de leitura

Por Arathy S Nair

(Reuters) - Danos causados pelo furacão Ida em um centro marítimo de transferência de petróleo dos EUA reduzirão drasticamente a produção da Shell até o início do próximo ano, informou a empresa nesta segunda-feira, reduzindo as entregas de um tipo de produto apreciado pelas refinarias.

A Shell emergiu como o produtor de petróleo mais atingido pelo furacão Ida, que atingiu o Golfo do México nos Estados Unidos no mês passado e removeu 27 milhões de barris do mercado. Cerca de 40% da produção da Shell na região marítima permanece paralisada.

A instalação de transferência danificada, West Delta-143, transporta petróleo e gás de três campos principais para processamento em terminais em terra. A Shell suspendeu anteriormente "numerosos" contratos de fornecimento de petróleo dos campos, alegando perdas com o furacão.

Os campos são uma fonte importante do petróleo Mars, um tipo valorizado por refinadores de petróleo nos Estados Unidos e na Ásia.

Os preços de Mars dispararam para uma máxima em um ano no início deste mês, depois diminuíram com o fim de restrições de outras ofertas de petróleo.

"Isso é muito grande", disse Artem Abramov, analista da Rystad Energy. Ele estimou que a perda de produção removerá de 200.000 a 250.000 barris por dia (bpd) da oferta de petróleo do Golfo do México por vários meses. O Golfo contribui com cerca de 16% da produção de petróleo dos EUA, ou 1,8 milhão de bpd.

Um porta-voz da Shell afirmou que não daria mais detalhes.

A Shell é a maior produtora de petróleo dos Estados Unidos no Golfo do México, com oito instalações que bombeiam cerca de 333.000 bpd, de acordo com a Rystad.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos