Mercado abrirá em 8 h 16 min
  • BOVESPA

    116.134,46
    +6.097,67 (+5,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.429,75
    +802,95 (+1,80%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,84
    +0,21 (+0,25%)
     
  • OURO

    1.709,20
    +7,20 (+0,42%)
     
  • BTC-USD

    19.611,87
    +499,14 (+2,61%)
     
  • CMC Crypto 200

    446,46
    +11,11 (+2,55%)
     
  • S&P500

    3.678,43
    +92,81 (+2,59%)
     
  • DOW JONES

    29.490,89
    +765,38 (+2,66%)
     
  • FTSE

    6.908,76
    +14,95 (+0,22%)
     
  • HANG SENG

    17.079,51
    -143,32 (-0,83%)
     
  • NIKKEI

    26.967,38
    +751,59 (+2,87%)
     
  • NASDAQ

    11.412,00
    +126,25 (+1,12%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,0785
    +0,0046 (+0,09%)
     

Furacão Fiona: satélites acompanham tempestade devastadora

Furacão Fiona: satélites acompanham tempestade devastadora
Furacão Fiona: satélites acompanham tempestade devastadora

Um conjunto de satélites está monitorando o Furacão Fiona conforme a tempestade de categoria 1 avança sobre várias ilhas no Mar do Caribe.

O furacão atingiu Porto Rico neste domingo (18), trazendo chuva intensa e causando dano à infraestrutura local, com destaque à malha de energia, que ficou inoperante. A ilha, um território dos Estados Unidos que abriga 3,2 milhões de pessoas, foi assolada há cinco anos por outra tempestade: o Furacão Maria.

Na manhã de segunda-feira (19), o furacão chegou à República Dominicana, trazendo alto risco à população local. Segundo o Centro Nacional para Furacões da Administração Oceânica e Atmosférica Nacional (NOAA), a porção oriental da ilha está sujeita a maiores danos.

Em seguida, a tempestade deve ganhar mais força conforme passa por uma região de águas quentes antes de prosseguir para as Ilhas Turcas e Caicos nesta terça-feira (20). De lá, o furacão deve se dirigir para o nordeste, passando por quilômetros de oceano antes de atingir Bermuda na manhã de sexta-feira (23).

Um furacão entre muitos

O Furacão Fiona já é a sexta tempestade tropical a ser categorizada no Oceano Atlântico apenas na temporada de furacões deste ano, que começou no dia 1º de junho e se estende até 30 de novembro.

Autoridades da NOAA previram em maio que haveria entre 14 e 21 tempestades nomeadas em 2022, das quais 10 seriam furacões.

Leia mais:

O mundo também acompanha o progresso do supertufão Nanmadol, que avança pelo Oceano Pacífico em alta velocidade, tendo atingido a costa oeste do Japão nesta segunda-feira (19), deixando, em seu rastro, duas mortes, milhares de desabrigados e o medo de que a tempestade atinja a usina nuclear de Shika.

Crédito da imagem destacada: CIRA/NOAA.