Mercado fechará em 2 h 35 min
  • BOVESPA

    108.272,15
    +1.800,23 (+1,69%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.249,72
    +526,29 (+1,13%)
     
  • PETROLEO CRU

    90,04
    +1,03 (+1,16%)
     
  • OURO

    1.804,70
    +13,50 (+0,75%)
     
  • BTC-USD

    23.959,47
    +750,56 (+3,23%)
     
  • CMC Crypto 200

    557,87
    +15,00 (+2,76%)
     
  • S&P500

    4.147,65
    +2,46 (+0,06%)
     
  • DOW JONES

    32.855,94
    +52,47 (+0,16%)
     
  • FTSE

    7.482,37
    +42,63 (+0,57%)
     
  • HANG SENG

    20.045,77
    -156,17 (-0,77%)
     
  • NIKKEI

    28.249,24
    +73,37 (+0,26%)
     
  • NASDAQ

    13.222,75
    -6,00 (-0,05%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2187
    -0,0479 (-0,91%)
     

Fundos que administram R$ 65 trilhões pedem ao Brasil que proteja Amazônia

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
***ARQUIVO***PORTO VELHO, RO, 09.09.2019 - Terreno desmatado e queimado é visto na Floresta Amazônica nos arredores de Porto Velho, em Rondônia. (Foto: Bruno Rocha/Fotoarena/Folhapress) ORG XMIT: 1792517 ORG XMIT: AGEN1909092051801590
***ARQUIVO***PORTO VELHO, RO, 09.09.2019 - Terreno desmatado e queimado é visto na Floresta Amazônica nos arredores de Porto Velho, em Rondônia. (Foto: Bruno Rocha/Fotoarena/Folhapress) ORG XMIT: 1792517 ORG XMIT: AGEN1909092051801590

Em comunicado conjunto, 230 fundos de investimento, que juntos administram US$ 16 trilhões (R$ 65 trilhões), exortaram o Brasil a adotar medidas eficazes para proteger a floresta amazônica contra o desmatamento crescente.

SIGA O YAHOO FINANÇAS NO INSTAGRAM

"Estamos preocupados com o impacto financeiro que o desmatamento pode ter sobre as empresas investidas, aumentando potencialmente os riscos de reputação, operacionais e regulatórios.”

Leia também

“Considerando o aumento das taxas de desmatamento e os recentes incêndios na Amazônia, estamos preocupados com o fato de as empresas expostas a desmatamento potencial em suas operações e cadeias de suprimentos brasileiras enfrentarem uma dificuldade crescente para acessar os mercados internacionais", diz a nota divulgada nesta quarta-feira (18).

"Como investidores, que têm o dever fiduciário de agir no melhor interesse de longo prazo de nossos beneficiários, reconhecemos o papel crucial que as florestas tropicais desempenham no combate às mudanças climáticas, na proteção da biodiversidade e na manutenção dos serviços ecossistêmicos", diz o texto, subscrito por fundos de 30 países.

"O desmatamento na região pode potencialmente aproximar perigosamente todo o ecossistema de um ponto de inflexão, após o qual a floresta tropical não será capaz de se manter, gradualmente se transformando em um sistema mais parecido com a savana, muito mais seca, menos biodiversa e que armazena significativamente menos carbono", afirma o texto.

Por outro lado, os fundos de investimento elogiaram duas iniciativas do setor privado brasileiro, o Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS) e a Coalizão Brasil Clima, Florestas e Agricultura. Em comunicados recentes, ambos criticaram o desmatamento sem controle.

Somados, esses fundos gerem o equivalente a 9,5 vezes do valor do PIB brasileiro de 2018. Entre eles está a gestora britânica Abeerden, que tem participação na BRF, dona das marcas Sadia e Perdigão, e em outras empresas do país.

Na avaliação da ONG norueguesa Rainforest Foundation Norway (RFN, na sigla em inglês), o comunicado conjunto de um grupo tão grande de fundos de investimento em defesa da Amazônia é uma ação sem precedentes.

"Esse documento deveria ser um alerta definitivo para os negócios cúmplices do desmatamento. Caso percam o capital dos investidores, eles se arriscam a quebrar", diz Vemund Olsen, conselheiro da RFN, em nota.

Em declarações recentes, o governo Jair Bolsonaro (PSL) tem refutado ou minimizado as mudanças climáticas e o desmatamento ilegal, além de rechaçar críticas vindas de países como França e Alemanha.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos