Mercado fechará em 1 h 20 min
  • BOVESPA

    95.811,30
    +442,54 (+0,46%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    36.918,71
    -475,00 (-1,27%)
     
  • PETROLEO CRU

    36,17
    -1,22 (-3,26%)
     
  • OURO

    1.868,70
    -10,50 (-0,56%)
     
  • BTC-USD

    13.550,63
    +395,26 (+3,00%)
     
  • CMC Crypto 200

    266,41
    +23,73 (+9,78%)
     
  • S&P500

    3.311,72
    +40,69 (+1,24%)
     
  • DOW JONES

    26.682,98
    +163,03 (+0,61%)
     
  • FTSE

    5.581,75
    -1,05 (-0,02%)
     
  • HANG SENG

    24.586,60
    -122,20 (-0,49%)
     
  • NIKKEI

    23.331,94
    -86,57 (-0,37%)
     
  • NASDAQ

    11.368,50
    +235,75 (+2,12%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7249
    -0,0095 (-0,14%)
     

Fundos de investimentos têm captação líquida recorde no 3º trimestre, diz Anbima

Júlia Lewgoy
·2 minutos de leitura

Investidores se voltaram para fundos mais conservadores no período O setor de fundos de investimentos teve captação líquida de R$ 189,3 bilhões no terceiro trimestre, a maior da série histórica na comparação com o mesmo período em anos anteriores. Isso significa que a diferença entre os aportes e os resgates foi recorde para um terceiro trimestre. Os dados foram divulgados nesta manhã pela Anbima, entidade que representa o mercado de investimentos e de capitais. Investidores adotaram estratégias de proteção e correram para fundos mais conservadores no 3º trimestre. A renda fixa reverteu as perdas do começo da pandemia e acumulou entradas de R$ 109,5 bilhões. Já os multimercados acumularam aportes de R$ 43,2 bilhões e os fundos de ações, captações de R$ 16,1 bilhões. No ano, até setembro, a indústria acumula captação líquida de R$ 196,4 bilhões, ainda 15,7% menor do que a acumulada em dezembro de 2019. No entanto, os fundos se recuperaram totalmente dos resgates a partir do quinto mês de pandemia, em julho. “Em apenas alguns meses, zeramos o número negativo e estamos no território positivo de forma bastante contundente, muito diferente do que aconteceu na crise de 2008”, diz Carlos André, vice-presidente da Anbima. “Apesar de toda crise que nós passamos, temos um número acumulado bastante representativo.” Ações e multimercados impulsionaram o resultado positivo em 2020. Fundos multimercados acumularam captação líquida de R$ 81,1 bilhões no ano e os fundos de ações, R$ 66,5 bilhões. Os fundos de renda fixa ficaram em terceiro lugar, com aportes líquidos de R$ 17,9 bilhões. O poder público e os investidores institucionais concentram aportes no ano, até agosto, com entrada líquida de R$ 163,9 bilhões. Já os investidores de varejo têm os maiores resgates, de R$ 39,6 bilhões no mesmo período. “Investidores que precisaram de recursos para o dia a dia por conta da pandemia tiveram que fazer uso das suas economias, ou as pessoas optaram por aplicações mais conservadoras”, diz André. Em termos de rentabilidade, os multimercados que investem no exterior foram o destaque em 2020 até agora. Eles acumularam retorno de 9,4% no ano, até setembro. Já o destaque negativo ficou com os fundos de small caps, que despencaram 19% no mesmo período. No ano, o patrimônio líquido da indústria cresceu 5,4% e chegou a R$ 5,8 trilhões em setembro de 2020. Adriano Gadini/Pixabay