Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.183,95
    -356,05 (-0,32%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.377,47
    +695,27 (+1,52%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,32
    +0,04 (+0,07%)
     
  • OURO

    1.711,90
    -3,90 (-0,23%)
     
  • BTC-USD

    51.385,31
    +2.774,68 (+5,71%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.026,97
    +38,87 (+3,93%)
     
  • S&P500

    3.819,72
    -50,57 (-1,31%)
     
  • DOW JONES

    31.270,09
    -121,41 (-0,39%)
     
  • FTSE

    6.675,47
    +61,72 (+0,93%)
     
  • HANG SENG

    29.880,42
    0,00 (0,00%)
     
  • NIKKEI

    29.117,14
    -441,96 (-1,50%)
     
  • NASDAQ

    12.624,75
    -57,00 (-0,45%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7723
    -0,0064 (-0,09%)
     

Fundo especulativo assume controle do grupo editorial americano Tribune Publishing

Rob Lever
·2 minuto de leitura
O New York Daily News e outros jornais da Tribune Publishing foram adquiridos por um fundo especulativo por 650 milhões de dólares

Um fundo de investimento especulativo fechou um acordo para comprar a Tribune Publishing, editora de jornais regionais como o Chicago Tribune e o New York Daily News, entre outros, alimentando temores de novos cortes de empregos no maltratado setor de jornais dos Estados Unidos.

A Alden Global Capital, que já tem cerca de 50 jornais, concordou em comprar as ações que ainda não possuía da Tribune Publishing em um negócio que avalia o grupo em 650 milhões de dólares, de acordo com um comunicado conjunto divulgado na noite de terça-feira (16).

Como parte do acordo, as empresas concordaram em encaminhar o Baltimore Sun para um grupo sem fins lucrativos formado este ano, o Sunlight for All Institute, que publicará o jornal e seus afiliados em Maryland.

O acordo provocou receios sobre o futuro desses jornais, porque o fundo Alden tem uma reputação de realizar cortes agressivos de empregos.

"Alden é o mais ganancioso dos proprietários de cadeias de jornais, tirando a vida (e o jornalismo) de suas propriedades", afirmou Dan Kennedy, professor de jornalismo da Northeastern University.

O presidente da Tribune Publishing, Philip Franklin, disse que o comitê que analisou as ofertas conseguiu negociar uma quantia em dinheiro que ultrapassou outras alternativas.

O negócio se dá em um momento em que jornais de todo o país enfrentam calamidades financeiras, agravadas pela crise da pandemia, que levaram a muitas falências nos últimos anos.

A McClatchy, segunda maior rede de jornais, pediu para declarar falência no ano passado, pouco antes da pandemia, aumentando o desespero do setor.

A Gannett, o maior grupo após a fusão com a rival Gate House, cortou salários e demitiu funcionários no ano passado para lidar com o impacto econômico da pandemia.

Após o longo declínio da imprensa escrita, muitos jornais locais e regionais reduziram seu quadro de funcionários ou número de edições. A maioria tentou ganhar espaço com publicações digitais, apesar das gigantes da internet dominarem o mercado de publicidade digital.

rl/jm/gm/gma/ic