Mercado fechado
  • BOVESPA

    129.259,49
    -831,59 (-0,64%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.579,10
    -329,08 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,46
    -0,69 (-0,96%)
     
  • OURO

    1.819,30
    -42,10 (-2,26%)
     
  • BTC-USD

    38.584,62
    -1.502,91 (-3,75%)
     
  • CMC Crypto 200

    961,10
    -31,37 (-3,16%)
     
  • S&P500

    4.223,70
    -22,89 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    34.033,67
    -265,66 (-0,77%)
     
  • FTSE

    7.184,95
    +12,47 (+0,17%)
     
  • HANG SENG

    28.436,84
    -201,69 (-0,70%)
     
  • NIKKEI

    29.291,01
    -150,29 (-0,51%)
     
  • NASDAQ

    13.940,00
    -41,25 (-0,30%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0739
    -0,0440 (-0,72%)
     

Fundador do Telegram diz que os iPhones não podem competir com o Android

·1 minuto de leitura
Fundador do Telegram diz que os iPhones não podem competir com o Android
Fundador do Telegram diz que os iPhones não podem competir com o Android

O fundador do Telegram, o programador russo Pavel Durov, declarou nesta semana em seu canal público no aplicativo que desenvolver para o iOS é como “trabalhar na Idade Média”. Durov reforçou a crítica, acrescentando que os usuários de iPhone são “escravos digitais” da Apple.

Para ele, a pior parte não é a “venda de hardware obsoleto e caro”, mas sim o fato dos usuários ficarem presos no ecossistema da Apple: “Você só tem permissão para usar aplicativos que a Apple permite instalar através de sua App Store e só pode usar o iCloud para fazer backup de seus dados nativamente”.

Celular com logo do Telegram
Segundo o portal SensorTower, o Telegram teve um aumento de mais de 98% em downloads até abril deste ano. Imagem: wichayada suwanachun/Shutterstock

Segundo o executivo, as telas de 60 Hz dos celulares da Maçã também “não podem competir” com as de 120 Hz dos aparelhos Android, que suportam animações mais suaves: “Sempre que preciso usar um iPhone para testar nosso aplicativo para iOS, sinto que sou jogado de volta à Idade Média”.

Leia mais:

Os comentários foram feitos em resposta a uma investigação reportada no The New York Times sobre o relacionamento da Apple com a China e seu possível envolvimento em “vigilância e censura” no país: “Não é de se admirar que a abordagem totalitária da Apple seja tão apreciada pela China, que tem controle total sobre os aplicativos e dados de todos os seus cidadãos que dependem de iPhones”, finalizou Durov.

Vale ressaltar que o Telegram é um dos aplicativos de mensagens mais populares do momento. O serviço possui mais de 500 milhões de usuários ativos. Recentemente, houve um aumento no número de usuários após o WhatsApp anunciar novas mudanças na sua política de privacidade.

Via: Android Central, The New York Times

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!