Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.910,10
    -701,55 (-0,62%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.661,86
    +195,84 (+0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    87,25
    +0,64 (+0,74%)
     
  • OURO

    1.790,70
    -4,30 (-0,24%)
     
  • BTC-USD

    37.853,56
    +2.031,75 (+5,67%)
     
  • CMC Crypto 200

    862,94
    +20,48 (+2,43%)
     
  • S&P500

    4.431,85
    +105,34 (+2,43%)
     
  • DOW JONES

    34.725,47
    +564,69 (+1,65%)
     
  • FTSE

    7.466,07
    -88,24 (-1,17%)
     
  • HANG SENG

    23.550,08
    -256,92 (-1,08%)
     
  • NIKKEI

    26.717,34
    +547,04 (+2,09%)
     
  • NASDAQ

    14.422,75
    +436,00 (+3,12%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9841
    -0,0399 (-0,66%)
     

Fundador e equipe do Hong Kong Apple Daily enfrentam nova acusação sob lei de segurança nacional

·2 min de leitura

Por James Pomfret e Sara Cheng

HONG KONG - Os promotores de Hong Kong apresentaram nesta terça-feira uma acusação contra o magnata da mídia Jimmy Lai por publicações "sediciosas" -- -- que geram revolta contra a ordem pública.

Lai, 74, fundador do jornal pró-democracia Apple Daily, está preso por outras acusações sofridas em meio a uma dura lei de segurança nacional, imposta em junho, que os críticos dizem ter sufocado as liberdades em Hong Kong.

O tablóide diário fechou em junho depois que autoridades invadiram o jornal, prenderam empregados por motivos de segurança nacional e congelaram bens.

O magnata já enfrenta duas acusações, incluindo conluio com país estrangeiro.

A nova acusação é de conspiração para imprimir, publicar, vender e distribuir "publicações sediciosas" entre abril de 2019 e 24 de junho de 2021.

Os promotores alegam que as publicações podem "trazer ódio, desprezo ou suscitar insatisfação" contra os governos de Hong Kong e da China, de acordo com a peça de acusação, vista pela Reuters.

Lai está entre as pessoas mais proeminentes acusadas sob a lei de segurança nacional, promulgada em junho de 2020 para punir o terrorismo, conluio com forças estrangeiras, subversão e secessão com possível prisão perpétua.

As repetidas prisões e processos contra Lai geraram críticas de governos ocidentais e grupos de direitos internacionais. Eles dizem que a lei foi usada para prender dezenas de ativistas pró-democracia, perseguir dissidentes e retirar liberdades, inclusive a da imprensa.

Já as autoridades de Hong Kong e da China afirmam que a lei restaurou a estabilidade, após prolongados protestos pró-democracia em 2019.

Lai está detido há mais de um ano e atualmente se encontra na prisão de segurança máxima de Stanley, em confinamento solitário, de acordo com duas fontes familiarizadas com o assunto.

A mesma acusação foi movida contra os seis ex-funcionários do Apple Daily, que também foram acusados ​​de conspiração conluio com um país estrangeiro ou com elementos externos.

O magistrado Peter Law suspendeu o caso até 24 de fevereiro e todos os réus continuarão sob prisão preventiva até então.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos