Mercado fechará em 1 h 46 min

Fundador da marca Patagonia doa empresa para cuidar do planeta

O fundador da Patagonia, marca de roupas para atividades ao ar livre, conhecido pelas posições a favor do meio ambiente, quer fazer mais pelo planeta e decidiu, aos 83 anos, doar sua empresa.

Yvon Chouinard tinha a opção de vender a marca, avaliada em 3 bilhões de dólares, segundo The New York Times, ou cotá-la na bolsa, mas, após entrar em acordo com a mulher e seus dois filhos, decidiu transferir 100% de suas ações para um fundo responsável por garantir que seus valores sejam respeitados e para uma associação de combate à crise climática e de proteção da natureza, à qual os lucros serão doados.

"A Terra é agora nossa única acionista", escreveu Chouinard em uma carta publicada no site da Patagonia.

"Eu nunca quis ser um homem de negócios. Comecei como artesão, fabricando material de escalada para meus amigos e para mim mesmo, antes de passar às roupas", lembrou.

Fundada há 50 anos, a Patagonia se comprometeu rapidamente pela proteção do meio ambiente, escolhendo cuidadosamente as matérias-primas usadas em seus produtos e doando 1% do valor de suas vendas anuais para ONGs ambientais.

No entanto, isso não era suficiente, segundo seu fundador.

"Uma opção era vender a Patagonia e doar todo o dinheiro. Mas não podíamos ter certeza de que um novo dono manteria nossos valores e conservaria o conjunto de nossos funcionários", explicou Chouinard na carta.

E abrir o capital da Patagônia teria sido um "desastre", previu. "Mesmo empresas listadas bem intencionadas são submetidas a muita pressão para gerar lucros de curto prazo em detrimento da vitalidade e responsabilidade de longo prazo".

A Patagonia continuará sendo uma empresa preocupada com sua situação financeira e funcionará com um conselho de administração e um diretor-geral.

A família Chouinard continuará "guiando" o trabalho do fundo e da associação.

jum/jul/ube/dl/am/mvv