Mercado abrirá em 2 h 23 min
  • BOVESPA

    110.611,58
    -4.590,65 (-3,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.075,41
    +732,87 (+1,58%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,73
    +0,68 (+1,05%)
     
  • OURO

    1.699,50
    +21,50 (+1,28%)
     
  • BTC-USD

    54.124,39
    +4.513,80 (+9,10%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.093,41
    +69,21 (+6,76%)
     
  • S&P500

    3.821,35
    -20,59 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    31.802,44
    +306,14 (+0,97%)
     
  • FTSE

    6.747,70
    +28,57 (+0,43%)
     
  • HANG SENG

    28.773,23
    +232,40 (+0,81%)
     
  • NIKKEI

    29.027,94
    +284,69 (+0,99%)
     
  • NASDAQ

    12.540,25
    +243,00 (+1,98%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,9831
    +0,0233 (+0,33%)
     

Fundador da Huawei promete manter foco em celulares em era Biden

Bloomberg News
·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- O bilionário Ren Zhengfei, fundador da Huawei Technologies, está cada vez mais confiante de que pode resistir às sanções dos EUA e prometeu que a maior empresa de tecnologia da China continuará a fabricar smartphones enquanto se aproxima do governo Biden.

Ren espera que o novo presidente dos EUA adote uma política mais complacente em relação à gigante de redes do que seu antecessor Donald Trump, que esmagou a divisão de smartphones da Huawei ao restringir seu acesso à fabricação de chips, software e circuitos dos EUA. Na terça-feira, o fundador pediu que Biden libere a compra de componentes dos EUA pela Huawei, que são necessários para fabricar seus dispositivos e equipamentos 5G.

“Esperamos que o novo governo dos Estados Unidos tenha uma política aberta para o benefício das empresas americanas e o desenvolvimento econômico dos EUA”, disse Ren a repórteres durante um tour pela cidade de Taiyuan, no norte da província de Shanxi. “Ainda esperamos poder comprar grandes volumes de matérias-primas, componentes e equipamentos americanos para que todos possamos nos beneficiar do crescimento da China”, disse em comentários confirmados por um porta-voz da Huawei.

Em 2019, a Huawei se tornou alvo das tensões EUA-China depois que a Casa Branca identificou a empresa como ameaça à segurança nacional e impôs uma série de restrições comerciais. Essas restrições limitaram o crescimento da empresa, o que levou à venda da unidade de aparelhos de baixo custo Honor no ano passado, prejudicando o negócio de smartphones que, por um breve período, superou a Apple. Apesar disso, a Huawei aumentou as vendas e o lucro líquido ano passado, disse Ren na terça-feira sem dar mais detalhes.

Não está claro até que ponto Biden planeja mudar a abordagem do governo de Washington em relação à Huawei. A escolhida de Biden como secretária de Comércio, Gina Raimondo, disse durante o processo de confirmação do Senado que não via “nenhuma razão” para que as restrições da era Trump fossem suspensas.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.