Mercado abrirá em 1 h 49 min
  • BOVESPA

    110.672,76
    -3.755,42 (-3,28%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.402,73
    -283,30 (-0,54%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,24
    -0,72 (-0,87%)
     
  • OURO

    1.779,40
    +8,90 (+0,50%)
     
  • BTC-USD

    63.984,71
    +1.842,99 (+2,97%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.483,55
    +20,19 (+1,38%)
     
  • S&P500

    4.519,63
    +33,17 (+0,74%)
     
  • DOW JONES

    35.457,31
    +198,70 (+0,56%)
     
  • FTSE

    7.214,59
    -2,94 (-0,04%)
     
  • HANG SENG

    26.136,02
    +348,81 (+1,35%)
     
  • NIKKEI

    29.255,55
    +40,03 (+0,14%)
     
  • NASDAQ

    15.401,75
    +3,25 (+0,02%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5027
    +0,0065 (+0,10%)
     

Fundador da Evergrande tenta tranquilizar funcionários

·1 minuto de leitura
Xu Jiayin (C), fundador da Evergrande, em 5 de junho de 2017 (AFP/STR)

O presidente da Evergrande, gigante do setor imobiliário da China, afirmou aos funcionários da empresa confiar que o grupo sairá "em breve de seu momento mais obscuro", informou a imprensa estatal nesta terça-feira (21), após um dia de temores nas Bolsas de todo o mundo.

A incorporadora imobiliária enfrenta a revolta de compradores e investidores, que temem perder dinheiro com a possível falência da Evergrande, que tem dívidas superiores a 300 bilhões de dólares.

Xu Jiayin, fundador da empresa em 1996, afirmou em uma carta aos funcionários que "acredita firmemente que a Evergrande poderá sair em breve de seu momento mais obscuro", informou o jornal estatal Securities Times.

O empresário escreveu ainda que a empresa retomará por completo seu trabalho e produção, garantirá a entrega dos imóveis e "apresentará uma resposta responsável aos compradores de casas, investidores, sócios e instituições financeiras".

A carta felicita os funcionários pelo Festival do Meio do Outono, uma tradição importante na China, celebrada com dois dias livre.

O texto foi divulgado após um dia de pânico nas Bolsas asiáticas e ocidentais, com o temor de que uma falência da gigante imobiliária afete a economia chinesa e o resto do mundo.

A crise da Evergrande provocou protestos incomuns diante dos prédios da empresa na China, organizados por investidores e fornecedores que exigiam seu dinheiro. Algumas pessoas afirmaram que devem receber até um milhão de dólares da empresa.

O grupo admitiu na semana passada que está sob "tremenda pressão" e que pode não ter capacidade de pagar suas obrigações.

rox/leg/dbh/me/fp

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos