Mercado fechado
  • BOVESPA

    117.380,49
    -948,51 (-0,80%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.042,38
    +358,83 (+0,80%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,37
    +0,10 (+0,19%)
     
  • OURO

    1.857,20
    +1,00 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    33.904,92
    +457,67 (+1,37%)
     
  • CMC Crypto 200

    682,98
    +6,08 (+0,90%)
     
  • S&P500

    3.846,25
    +4,78 (+0,12%)
     
  • DOW JONES

    30.909,90
    -87,08 (-0,28%)
     
  • FTSE

    6.638,85
    -56,22 (-0,84%)
     
  • HANG SENG

    30.159,01
    +711,16 (+2,41%)
     
  • NIKKEI

    28.822,29
    +190,84 (+0,67%)
     
  • NASDAQ

    13.414,25
    +52,75 (+0,39%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6386
    -0,0134 (-0,20%)
     

Fundação de Lemann dá nome à nova área de ensino sobre políticas públicas do Insper

ISABELA BOLZANI
·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Fundação Lemann dará nome à nova iniciativa de ensino sobre políticas públicas do Insper. Chamada de Cátedra Fundação Lemann, o projeto traz o mestre e doutor em economia Rodrigo Soares como professor titular. Segundo o empresário Jorge Paulo Lemann, fundador e presidente do conselho da fundação, a expectativa é que a iniciativa aprimore a discussão sobre políticas públicas no país e a formação de profissionais que atuem direta ou indiretamente nessa área. "Estou animado com essa cátedra", disse Lemann no evento virtual que marcou o lançamento do projeto. "Acho que juntos conseguiremos fazer um bom projeto e espero que seja uma grande contribuição para melhorar a governança do nosso país." Entre os temas de pesquisa da nova cátedra estão saúde, mercado de trabalho, bem como questões ligadas a crime e violência. Em termos de saúde, Soares afirma que promoverá o debate sobre o acesso e a qualidade dos serviços do SUS (Sistema Único de Saúde). Entre as questões dessa área que já levantam discussões destacam-se a fixação de alguma forma de compensação na relação entre o SUS e o mercado privado, bem como a judicialização da saúde pública. A informalidade e a discriminação no mercado de trabalho e questões voltadas para políticas repressivas e sociais também terão destaque na cátedra. "Nossa capacidade de responder a qualquer crise depende do conhecimento acumulado previamente e da formação de capital humano especializado", afirmou Soares. Para ele, o investimento na coleta de dados e cruzamento de conhecimentos é fundamental em ciências sociais. "É o que permite que sociedades respondam a desafios que muitas vezes não são antecipados nem concebidos: é o caso da crise do coronavírus, por exemplo", disse.