Mercado fechado
  • BOVESPA

    112.764,26
    +3.046,32 (+2,78%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.853,37
    +392,82 (+0,81%)
     
  • PETROLEO CRU

    91,88
    -2,46 (-2,61%)
     
  • OURO

    1.818,90
    +11,70 (+0,65%)
     
  • BTC-USD

    24.460,83
    +642,34 (+2,70%)
     
  • CMC Crypto 200

    574,64
    +3,36 (+0,59%)
     
  • S&P500

    4.280,15
    +72,88 (+1,73%)
     
  • DOW JONES

    33.761,05
    +424,38 (+1,27%)
     
  • FTSE

    7.500,89
    +34,98 (+0,47%)
     
  • HANG SENG

    20.175,62
    +93,19 (+0,46%)
     
  • NIKKEI

    28.546,98
    +727,65 (+2,62%)
     
  • NASDAQ

    13.580,00
    +268,75 (+2,02%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2024
    -0,1213 (-2,28%)
     

Funcionários da Azul recusam proposta e crise de voos cancelados continua

·2 min de leitura
  • Empresa ofereceu um vale-alimentação de R$ 463,21 em troca da redução do número de folgas da categoria;

  • Cerca de 74% dos funcionários recusaram a proposta;

  • Voos continuam sendo cancelados pela companhias aéreas brasileiras em face da crise sanitária.

A Azul apresentou uma proposta na segunda-feira (10), para o Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA) durante uma reunião virtual.

Com o objetivo de minimizar os efeitos da redução de equipe causada pelas infecções com COVID-19, a empresa ofereceu a redução do número de folgas nos meses de fevereiro e março em troca de um vale-alimentação mensal de R$ 463,21.

Além disso, a empresa também tentou fazer com que as escalas de trabalho fossem divulgadas em quinzenas, e não mensalmente, como é a norma.

Leia também:

A tentativa de Acordo Coletivo de Trabalho (ACT), no entanto, foi negada nesta quarta-feira (12), pelos pilotos e comissários de bordo da empresa. Cerca de 2 mil aeronautas estiveram presentes na votação, onde 74% responderam negativamente à proposta.

Para Ondino Dutra, presidente do SNA, o resultado representa a insatisfação histórica que esses trabalhadores têm com sua escala de serviço.

“Os profissionais não se sentem reconhecidos em seus esforços nos últimos tempos, em especial, depois de terem aceitado redução de salário e várias flexibilizações operacionais”, disse ao Valor.

O Sindicato afirmou também que vem recebendo denúncias sobre voos partindo com um número reduzido de comissários, o que vai contra o regimento da categoria.

Afirmou também que já entrou em contato com a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para denunciar esses casos. Só no dia 6 de janeiro teriam sido realizados 16 voos com equipe reduzida.

Indagada pelos comandantes ao decolar sobre a legalidade do voo, a Azul informou que a circunstância figura exceção à regra, e portanto, autorizada pela Anac e pela Diretoria de Operações.

Foi também no dia 6 de janeiro que a Azul começou a cancelar voos devido a falta de pessoal. No dia foram cancelados 45 voos, ou 5% de sua malha.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos