Mercado fechado
  • BOVESPA

    125.052,78
    -1.093,88 (-0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.268,45
    +27,94 (+0,06%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,17
    +0,26 (+0,36%)
     
  • OURO

    1.802,10
    -3,30 (-0,18%)
     
  • BTC-USD

    33.704,04
    +1.211,78 (+3,73%)
     
  • CMC Crypto 200

    786,33
    -7,40 (-0,93%)
     
  • S&P500

    4.411,79
    +44,31 (+1,01%)
     
  • DOW JONES

    35.061,55
    +238,20 (+0,68%)
     
  • FTSE

    7.027,58
    +59,28 (+0,85%)
     
  • HANG SENG

    27.321,98
    -401,86 (-1,45%)
     
  • NIKKEI

    27.548,00
    +159,80 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.091,25
    +162,75 (+1,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1216
    +0,0014 (+0,02%)
     

Funcionário do McDonald’s diz que superior ejaculou sobre ele enquanto dormia

·1 minuto de leitura
Palhaço símbolo do McDonald's. (Foto:  Zhang Peng/LightRocket via Getty Images)
Palhaço símbolo do McDonald's. (Foto: Zhang Peng/LightRocket via Getty Images)
  • Arcos Dourados será investigada por denúncias de abusos no Brasil.

  • Empresa representa o McDonald’s no país.

  • Casos são de assédio sexual, racismo e outros abusos.

Uma série de denúncias de assédio sexual, racismo e outros abusos feitas por funcionários do McDonald’s será investigada pela Procuradoria do Trabalho no Brasil.

Leia também:

Elas foram recebidas pela campanha global “Sem Direitos Não É Legal”, que atende especificamente trabalhadores do McDonald’s no Brasil, enviadas pela União Geral dos Trabalhadores ao Ministério Público do Trabalho.

As informações são de reportagem do jornal Folha de S.Paulo. Agora, a Arcos Dourados, empresa que representa o McDonald’s no Brasil com sua rede de franquias, passará a ser investigada por essas denúncias.

Em nota enviada ao jornal, a Arcos Dourados diz ter “colabora ativamente” com a investigação, “apresentando todas as informações solicitadas”.

Uma das denúncias que constam nesse conjunto é a do funcionário Gabriel, de 19 anos, que relata assédio sexual partindo de seu superior, em uma lanchonete da rede em Curitiba (PR). O abuso ocorreu, segundo Gabriel, no início deste ano.

O funcionário afirma que seu chefe o abordava no banheiro e na área de almoço. No pior dos episódios, o superior teria ejaculado sobre o funcionário enquanto este dormia, durante sua pausa para a alimentação, acordando-o.

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos