Mercado abrirá em 1 h 10 min
  • BOVESPA

    111.716,00
    -2.354,00 (-2,06%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.395,94
    -928,96 (-2,01%)
     
  • PETROLEO CRU

    78,24
    -0,50 (-0,64%)
     
  • OURO

    1.648,00
    -7,60 (-0,46%)
     
  • BTC-USD

    18.878,69
    -212,10 (-1,11%)
     
  • CMC Crypto 200

    432,40
    -12,14 (-2,73%)
     
  • S&P500

    3.693,23
    -64,76 (-1,72%)
     
  • DOW JONES

    29.590,41
    -486,29 (-1,62%)
     
  • FTSE

    6.963,31
    -55,29 (-0,79%)
     
  • HANG SENG

    17.855,14
    -78,13 (-0,44%)
     
  • NIKKEI

    26.431,55
    -722,28 (-2,66%)
     
  • NASDAQ

    11.322,00
    -54,75 (-0,48%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,0742
    -0,0234 (-0,46%)
     

Funcionários e fornecedores da Cemig são alvo de operação policial e do MP

Logo da Cemig em painel na bolsa de valores de São Paulo

SÃO PAULO (Reuters) - Funcionários da estatal mineira de energia Cemig e empresários que tinham contratos de fornecimento com a elétrica foram alvo de uma operação deflagrada nesta terça-feira pelo Ministério Público de Minas Gerais, em conjunto com o Ministério Público de São Paulo, as Polícias Civis dos dois Estados e a Secretaria de Estado da Fazenda de Minas Gerais.

A operação, batizada de "Mau Contato", investiga suposto conluio de empregados da estatal com empresários do ramo de produção e revenda de cabos condutores e outros materiais elétricos para fraudar contratações da Cemig, desde a fase de licitação até a execução dos contratos.

Segundo o MP-MG, foi apurado que a utilização do material na rede elétrica gerida pela Cemig apresentava riscos à qualidade, desempenho e segurança da prestação de serviços e dos usuários, além de prejuízos financeiros.

A operação determinou o cumprimento a nove mandados de busca e apreensão nesta terça-feira.

Em nota à imprensa, a Cemig afirmou que vem colaborando "desde o primeiro momento" com o MP-MG nas investigações, tendo realizado uma apuração corporativa interna sobre denúncias de supostos casos de corrupção em sua área de compras.

Segundo a estatal elétrica, em janeiro de 2021 foram afastados cinco empregados que ocupavam posições de liderança da área de compras da companhia, sem prejuízo de seus vencimentos, para preservação da investigação.

A Cemig afirmou ainda que informou às autoridades norte-americanas (DoJ e SEC) sobre a investigação das denúncias, já que tem ações negociadas na bolsa dos Estados Unidos.

Nem o MP nem a Cemig divulgaram os nomes dos investigados.

(Por Letícia Fucuchima)