Mercado fechado
  • BOVESPA

    119.564,44
    +1.852,44 (+1,57%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.399,80
    +71,60 (+0,15%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,05
    -0,58 (-0,88%)
     
  • OURO

    1.786,00
    +1,70 (+0,10%)
     
  • BTC-USD

    57.326,62
    +3.465,69 (+6,43%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.474,20
    +68,89 (+4,90%)
     
  • S&P500

    4.167,59
    +2,93 (+0,07%)
     
  • DOW JONES

    34.230,34
    +97,31 (+0,29%)
     
  • FTSE

    7.039,30
    +116,13 (+1,68%)
     
  • HANG SENG

    28.417,98
    -139,16 (-0,49%)
     
  • NIKKEI

    29.035,69
    +223,06 (+0,77%)
     
  • NASDAQ

    13.503,25
    +12,25 (+0,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4272
    +0,0003 (+0,00%)
     

Funcionários da LG entram em greve por manutenção de empregos

Daniel Mello – Repórter da Agência Brasil
·1 minuto de leitura

Os trabalhadores da fábrica da LG em Taubaté, no interior paulista, entraram em greve após rejeitar a proposta de indenização aos trabalhadores que serão demitidos com o fechamento da fábrica. Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté e Região (Sindmetau), a paralisação tem adesão de 700 empregados das linhas de celulares e monitores.

De acordo com o Sindmetau, a empresa ofereceu valores adicionais nos acordos de rescisão entre R$ 8 mil e R$ 35,9 mil, calculados a partir do tempo de trabalho na fábrica que foram rejeitados em assembleia na segunda-feira (12).

Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, também estão paralisados desde a semana passada os funcionários de três empresas fornecedoras da multinacional em Caçapava e São José dos Campos pela manutenção de 430 postos de trabalho nessas linhas de montagem.

Na semana passada, a LG Eletronics informou que deixará de fabricar celulares, o que levaria ao encerramento de ao menos parte das atividades na planta de Taubaté.

A empresa, com sede na Coreia do Sul, informou que a decisão foi tomada por causa dos sucessivos prejuízos acumulados desde 2015 com a venda de smartphones. “O nosso negócio global de celulares tem sofrido uma perda operacional por 23 trimestres consecutivos, resultando em um acumulado de aproximadamente 4,1 bilhões de dólares (US) até o final de 2020”, destacou a LG em comunicado à imprensa.

Veja reportagem na TV Brasil:

A reportagem da Agência Brasil procurou a LG, mas a empresa ainda não respondeu com um posicionamento em relação à greve.

Texto atualizado às 16h08 do dia 14 de abril de 2021 para esclarecimento de informações