Mercado abrirá em 1 h 44 min

Funcionários da Dataprev em SP entram em greve a partir de quinta-feira

A greve na empresa de tecnologia e processamento de dados da Previdência Social já acontece em outras capitais (Atualizada para incluir posicionamento da Dataprev) Trabalhadores da Dataprev de São Paulo decidiram em assembleia realizada hoje aderir à greve dos profissionais da estatal a partir da próxima quinta-feira (30). A informação é do Sindicato dos Trabalhadores em Processamento de Dados e Tecnologia da Informação do Estado de São Paulo (Sindpd-SP)

A greve na empresas de tecnologia e processamento de dados da Previdência Social já acontece em outras capitais e ocorre após cortes e demissões na empresa. “O desmonte da estatal responsável pelo processamento de dados previdenciários vem atrasando o recebimento de pensões e aposentadorias em todo o país”, afirma o sindicato, em comunicado.

Agência Brasil

Ainda conforme a entidade, a empresa possui atualmente mais de 3,5 mil funcionários em todo o Brasil. A estrutura conta com três data centers, localizados nas cidades do Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília. A empresa tem ainda cinco unidades de desenvolvimento, localizadas nas cidades de Fortaleza, João Pessoa, Natal, Rio de Janeiro e Florianópolis. O atendimento operacional e técnico é feito pelas 27 regionais, uma em cada capital.

No começo de janeiro, a Dataprev, cotada pelo governo para ser privatizada, anunciou que vai demitir 493 funcionários e fechar filiais em 20 Estados. O enxugamento de quadros é parte de processo de redução de despesas.

Em nota, a Dataprev afirma que “o fechamento das 20 unidades estaduais da empresa não afeta, de nenhuma maneira e sob nenhum aspecto, o trabalho de processamento dos dados previdenciários”. Segundo a empresa, todo o processamento ocorre nos Estados com unidades de desenvolvimento e data centers (Ceará, Distrito Federal, Paraíba, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Santa Catarina e São Paulo), com suas atividades integralmente preservadas.

“Cabe enfatizar: o encerramento dessas unidades vem sendo estudado há bastante tempo, sem nenhuma conexão com a inclusão da Dataprev na lista de empresas passíveis de privatização”, diz a Dataprev, no comunicado. “Trata-se de uma medida de eficiência que visa equilibrar e garantir a sustentabilidade e a competitividade da empresa.”