Mais um funcionário da Statoil é resgatado na Argélia

Copenhague, 19 jan (EFE).- A companhia petrolífera Statoil informou neste sábado o resgate de um de seus empregados sequestrados no campo de gás no sudeste da Argélia tomado por um grupo armado salafista, e aguarda notícias sobre outros cinco noruegueses.

"Sentimos uma profunda e crescente intranquilidade por nossos cinco colegas. Trabalhamos o máximo para conseguir informação e ajudá-los", disse hoje em entrevista coletiva Helge Lund, presidente da norueguesa Statoil, que opera o campo junto com British Petroleum (BP) e a argelina Sonatrach.

Lund falou em esperança, mas ao mesmo tempo advertiu que é preciso estar preparado para receber "más notícias", uma mensagem repetida depois em discurso pelo primeiro-ministro norueguês, Jens Stoltenberg.

"Não se deve perder a esperança por eles, mas devemos assumir que vários noruegueses podem ter perdido a vida", afirmou em Oslo o primeiro-ministro, que horas antes tinha visitado em Bergen, no oeste do país, um centro onde aguardam os parentes dos empregados de Statoil.

No momento do ataque terrorista, que aconteceu na quarta-feira, havia 17 trabalhadores de Statoil - 13 noruegueses -, dos quais 12 estão a salvo.

O ministro das Relações Exteriores norueguês, Espen Barth Eide, se mostrou compreensivo com a atuação do Exército argelino, iniciada um dia depois do sequestro e que alguns países criticaram.

"Temos razões para crer que as forças argelinas esperaram tanto quanto puderam antes de atacar os terroristas", declarou Eide em discurso ao lado de Stoltenberg.

O Ministério do Interior argelino informou hoje que pelo menos 23 reféns argelinos e estrangeiros e 32 terroristas morreram na operação lançada pelo Exército para resgatar as centenas de sequestrados que um grupo de terroristas mantinha desde quarta-feira no campo de gás de In Amenas.

No ataque das forças especiais do Exército, foram resgatados 107 trabalhadores estrangeiros e 685 argelinos. EFE

Carregando...