Mercado fechará em 4 h 46 min
  • BOVESPA

    129.564,13
    +796,68 (+0,62%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.186,61
    +56,73 (+0,11%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,65
    +0,80 (+1,10%)
     
  • OURO

    1.790,40
    +13,00 (+0,73%)
     
  • BTC-USD

    34.211,52
    +4.709,09 (+15,96%)
     
  • CMC Crypto 200

    826,60
    +16,40 (+2,02%)
     
  • S&P500

    4.247,10
    +0,66 (+0,02%)
     
  • DOW JONES

    33.915,23
    -30,35 (-0,09%)
     
  • FTSE

    7.103,19
    +13,18 (+0,19%)
     
  • HANG SENG

    28.817,07
    +507,31 (+1,79%)
     
  • NIKKEI

    28.874,89
    -9,24 (-0,03%)
     
  • NASDAQ

    14.259,50
    +1,25 (+0,01%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9420
    +0,0222 (+0,38%)
     

Funchal saúda melhora de expectativa de crescimento; pondera que continuação depende de fiscal

·1 minuto de leitura

Por José de Castro

SÃO PAULO (Reuters) - O secretário Especial de Fazenda, Bruno Funchal, destacou nesta segunda-feira a melhora das expectativas para o crescimento econômico, citando maior arrecadação dos Estados, mas ressalvou que a continuidade desse movimento depende de contas públicas organizadas.

Funchal é questionado neste momento por parlamentares na Comissão Temporária de Acompanhamento da Covid-19 no Senado.

Ao comentar apresentação, o secretário citou o salto das projeções do mercado financeiro para a expansão do PIB neste ano, de 3,52% uma semana atrás para 3,96% nesta segunda-feira, conforme a pesquisa Focus do Banco Central.

"São notícias boas, e essa janela de crescimento, de crescimento maior e mais sustentável, ela é muito vinculada a essa nossa organização fiscal."

Funchal disse que a pandemia exigiu mais gastos do governo, mas que é importante uma sinalização futura para o fiscal.

"Claro que a pandemia fez a gente gastar mais. Mas o que a gente precisa agora é mostrar que no futuro a gente vai manter as contas públicas organizadas. Reflexo disso é uma melhor base para a recuperação econômica", disse.

"A melhora fiscal não é um fim em si mesma. Ela cria condições para que a economia continue crescendo e gerando empregos", afirmou o secretário, frisando necessidade de ações que baixem a curva de juros --permitindo, assim, barateamento de investimentos e consequente geração de empregos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos