Mercado abrirá em 4 h 33 min

Fugindo do coronavírus, novos Pixel 4a e Pixel 5 serão fabricados no Vietnã

Diego Sousa

O Google deve apresentar os novos Pixel 4a e Pixel 5 em maio, durante o I/O 2020, e outubro desse ano, respectivamente. Pelo menos, é o que se espera já que a empresa está movendo a produção dos smartphones para o Vietnã, em uma tentativa de “fugir” do CODIV-19 (coronavírus) na China, onde quase 80 mil pessoas já foram infectadas.

A informação veio de fontes anônimas do setor, que afirmaram que o Google está se afastando da ideia de fabricar todos os seus dispositivos na China. De acordo com o site Nikkei Asian Review, a fabricante chegou a pedir aos fornecedores que examinassem a viabilidade e o custo adicional de mover os equipamentos de produção do país para o Vietnã, que fica a 2.457km de distância.

Ainda segundo essas fontes, a produção do Pixel 4a no Vietnã começaria a partir de abril, enquanto o Pixel 5 em algum momento do segundo semestre de 2020.

Possivel visual do Pixel 4a (Foto: Reprodução/LetsGO Digital)

Problemas 

Diferente da Apple, que produz remessas gigantescas de iPhones na fábrica da Foxconn, na China, dados da IDC informaram que o Google vendeu apenas 7 milhões de smartphones em 2019, o que, de certa forma, não o torna tão vinculado ao país do ponto de vista de fabricação. Ou seja, não seria um problema tão grande em relação à logística, por exemplo, como seria para a Apple.

No entanto, ainda há alguns pontos a destacar: em agosto de 2019, o Google já havia transferido sua produção de smartphones Pixel da China para o Vietnã, devido às tensões comerciais entre China e Estados Unidos. Além disso, a maioria dos componentes necessários para a produção do Pixel ainda vem da China, ou seja, querendo ou não, o Google ainda estará dependente do país.

Em entrevista ao site Nikkei Asian Review, um executivo da IDC acha razoável que as empresas tomem atitudes para não serem prejudicadas pelo coronavírus, mas, mesmo que o processo final de montagem esteja fora do epicentro do vírus, os componentes ainda precisam sair de algum lugar. “É uma questão do ecossistema da cadeia de suprimentos, que leva tempo para reconstruir”, termina.

A Microsoft também é outra empresa que está “de mudança” para o Vietnã. Segundo fontes do mesmo site, sua linha de notebooks e desktops Surface, apresentada no ano passado, deve começar sua produção a partir de abril, no norte do país. A princípio, o volume seria pequeno, com aumento contínuo ao longo dos meses.

Já a Samsung, por sua vez, já possui uma cadeia de suprimentos no norte do Vietnã há anos, mas ainda depende de alguns componentes fabricados na China. No lançamento oficial dos novos Galaxy S20 no mercado vietnamita, a sul-coreana comentou que suas fábricas no país estavam operando em “capacidade máxima”, pois precisou transportar componentes eletrônicos após a fronteira entre os dois países ser fechada para impedir a propagação do vírus.

Até o momento, Google e Microsoft não comentaram sobre o assunto.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: