Mercado fechará em 5 h 26 min
  • BOVESPA

    108.526,43
    -415,25 (-0,38%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.599,38
    -909,02 (-1,73%)
     
  • PETROLEO CRU

    84,21
    -0,93 (-1,09%)
     
  • OURO

    1.840,40
    +8,60 (+0,47%)
     
  • BTC-USD

    33.567,55
    -2.301,87 (-6,42%)
     
  • CMC Crypto 200

    763,47
    +520,80 (+214,60%)
     
  • S&P500

    4.397,94
    -84,79 (-1,89%)
     
  • DOW JONES

    34.265,37
    -450,03 (-1,30%)
     
  • FTSE

    7.383,22
    -110,91 (-1,48%)
     
  • HANG SENG

    24.656,46
    -309,09 (-1,24%)
     
  • NIKKEI

    27.588,37
    +66,11 (+0,24%)
     
  • NASDAQ

    14.218,00
    -208,50 (-1,45%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1958
    +0,0058 (+0,09%)
     

Fuchsia OS vai deve chegar a mais um dispositivo Google

·2 min de leitura

O próximo dispositivo Google que receberá o Fuchsia OS não deve ser um smartphone, mas sim o Nest Hub Max, sugere um comentário de um desenvolvedor feito em uma plataforma oficial da companhia. A dona do sistema estaria preparando a próxima atualização para o display inteligente lançado em 2019, substituindo o Cast OS (baseado no Linux) no processo.

A expectativa parte de um aparente impulso nos testes internos do Fuchsia OS, em que os programadores já entraram no estágio de experimentação “dogfood” (“comida de cachorro”, em português). A expressão surge da frase “experimentando a comida do cachorro”, que simboliza o estágio de avaliação em que os desenvolvedores se colocam na posição de usuários.

O comentário parece se referir ao Nest Hub Max como "Sherlock" e o Fuchsia OS estaria na sexta versão (Captura: Igor Almenara/Canaltech)
O comentário parece se referir ao Nest Hub Max como "Sherlock" e o Fuchsia OS estaria na sexta versão (Captura: Igor Almenara/Canaltech)

De todos, este é o maior período de testes de software dentro do Google — e também último passo antes do lançamento. Antes disso, a experimentação acontece com grupos menores de desenvolvedores e com outras perspectivas de avaliação.

O comentário parece se referir ao Nest Hub Max como “Sherlock” e um problema na versão 6 (ou “F6”, como o desenvolvedor menciona) precisava ser corrigido antes do dia 19 de dezembro para que o cronograma fosse atendido, já que a equipe entraria em recesso antes das festas de fim de ano. Não se sabe exatamente qual foi a falha encontrada, mas a essa altura ela já pode ser coisa do passado.

Google Nest Hub Max foi lançado em 2019 e, por enquanto, roda o Cast OS (baseado em Linux) (Imagem: Reprodução/Google)
Google Nest Hub Max foi lançado em 2019 e, por enquanto, roda o Cast OS (baseado em Linux) (Imagem: Reprodução/Google)

Fuchsia OS já está em um Nest Hub

Apesar de pouco empolgante para quem aguarda pelo potencial substituto do Android, não é uma surpresa que o próximo dispositivo na fila para receber o Fuchsia OS seja outro da linha Nest Hub. Atualmente, a única família de aparelhos do Google com o sistema operacional são os Nest Hub de primeira geração, lançados em 2016.

A migração de software aconteceu sem muito alarde em maio deste ano e, surpreendentemente, não introduziu nenhuma novidade significativa para o usuário final. O Fuchsia OS não implementou nova interface nem funcionalidades inéditas sobre o Cast OS, que rodava nesses aparelhos anteriormente.

A grande diferença, porém, está nos bastidores: enquanto o Cast OS é construído sobre o Linux, o Fuchsia OS trabalha com o microkernel Zircon. Não se sabe exatamente quais seriam os benefícios diretos dessa transição.

Talvez, a próxima atualização dê uma ideia de como o Fuchsia OS pode mudar a experiência com dispositivos do Google, porém, por enquanto, é tudo especulação. Aliás, não existe nenhuma previsão para o lançamento do update para o público geral.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos