Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.035,17
    -2.221,19 (-1,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.592,91
    +282,64 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,66
    -1,87 (-2,94%)
     
  • OURO

    1.733,00
    -42,40 (-2,39%)
     
  • BTC-USD

    45.349,73
    -2.451,60 (-5,13%)
     
  • CMC Crypto 200

    912,88
    -20,25 (-2,17%)
     
  • S&P500

    3.811,15
    -18,19 (-0,48%)
     
  • DOW JONES

    30.932,37
    -469,64 (-1,50%)
     
  • FTSE

    6.483,43
    -168,53 (-2,53%)
     
  • HANG SENG

    28.980,21
    -1.093,96 (-3,64%)
     
  • NIKKEI

    28.966,01
    -1.202,26 (-3,99%)
     
  • NASDAQ

    12.905,75
    +74,00 (+0,58%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7583
    +0,0194 (+0,29%)
     

Fuchsia OS pode ter suporte nativo para apps de Android e Linux

Igor Almenara
·2 minuto de leitura

Ainda em fase embrionária, o Fuchsia OS pode ganhar suporte nativo para programas de Android e Linux. Encarado como um possível substituto do Android e do Chrome OS num único sistema, o SO do Google receberia uma robusta biblioteca que viabiliza a execução de aplicativos mobile, oriundos do Kernel Linux, sem apelar para máquinas virtuais ou emulação. A novidade aparece em um documento revelado pelo site Thurrott.

“Ao passo que expandimos o universo do software que queremos para o Fuchsia, nós nos deparamos com softwares que gostaríamos que rodassem no Fuchsia mas que não podemos alterá-los. Por exemplo, aplicações Android que contém módulos de código nativos que foram compilados para o Linux. Para rodá-los no Fuchsia, precisaríamos executar os binários sem modificá-los”, pontua o documento.

A camada de compatibilidade por enquanto é conhecida como Starnix. Seu propósito, como descreve o comunicado, é proporcionar a experiência integral dos aplicativos feitos para Linux — o que inclui os apps Android — sem precisar modificar o código do programa.

Vale lembrar que o recurso está em fases anteriores ao desenvolvimento, ainda em período de discussões internas — embora já esteja em construção para avaliações futuras. Portanto, a ferramenta ainda não está confirmada e pode não chegar à fase final.

À medida que o Fuchsia OS avança, o Google o torna cada vez mais próximo dos seus sistemas “da casa”. O software, que pode um dia pode ser visto como o produto principal da companhia, ainda está em fase muito inicial e pouco maduro, bem distante da experiência encorpada e familiar apresentada no Android e na integração incluída no Chrome OS.

O Fuchsia OS foi tratado como segredo por muito tempo, sendo revelado como uma ferramenta exclusivamente para testes, entretanto, sua finalidade não é um segredo: a gigante das pesquisas o descreve como um sistema operacional de código aberto que é “seguro, expansível, acessível e pragmático”, sem formalizar muitos detalhes sobre o software.

Ainda levará alguns anos para se ver o Fuchsia OS pré-instalados em aparelhos à venda, ainda assim, é interessante observar como o Google está guiando o dispositivo. Mais informações sobre a compatibilidade com aplicações feitas para Android e Linux podem ser conferidas na documentação oficial do recurso.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: