Mercado abrirá em 5 h 30 min
  • BOVESPA

    108.487,88
    +1.482,88 (+1,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.518,30
    +228,40 (+0,45%)
     
  • PETROLEO CRU

    111,28
    +1,00 (+0,91%)
     
  • OURO

    1.852,30
    +10,20 (+0,55%)
     
  • BTC-USD

    30.585,40
    +1.195,05 (+4,07%)
     
  • CMC Crypto 200

    684,35
    +10,98 (+1,63%)
     
  • S&P500

    3.901,36
    +0,57 (+0,01%)
     
  • DOW JONES

    31.261,90
    +8,80 (+0,03%)
     
  • FTSE

    7.454,20
    +64,22 (+0,87%)
     
  • HANG SENG

    20.425,88
    -291,36 (-1,41%)
     
  • NIKKEI

    27.001,52
    +262,49 (+0,98%)
     
  • NASDAQ

    11.989,75
    +149,00 (+1,26%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1574
    +0,0046 (+0,09%)
     

Brasileiro pagou 5,7 vezes mais pelo frete marítimo na pandemia

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
O encarecimento do frete marítimo deve impactar em produtos importados
O encarecimento do frete marítimo deve impactar em produtos importados (Getty Image)
  • Nova onda de covid-19 na China reduziu a oferta de navios cargueiros

  • Grande parte do transporte de produtos importados é realizada através da logística marinha

  • Escassez de containers deve aumentar o preço de itens e impactar na inflação

Se engana quem pensa que acabaram os problemas econômicos causados pela covid-19. Com o surto da doença na China, a oferta de navios cargueiros foi reduzida, o que pode acarretar em uma alta em produtos importados.

Segundo a CNN, as medidas de isolamento social no país asiático trouxeram impactos diretos para a economia brasileira. Entidades do segmento informaram ao jornal que "expectativa de que a cadeia produtiva global fosse totalmente restaurada não deve mais se concretizar até o final deste ano".

O diretor presidente da Associação Brasileira dos Terminais Portuários (ABTP), Jesualdo Silva confirmou ao site que a paralisação de navios cargueiros gerou escassez. De acordo com Silva, o container vindo da China custava em média US$ 6.800. Após a diminuição dos casos de infectados, o valor desceu para US$ 6.200. Antes da pandemia, ele custava US$ 3.000.

“Essa elevação no preço já começa a acontecer. Navios que vinham da Ásia para cá e vice-versa não sabem se vão poder descarregar e seguir o percurso. Não sai e nem entra container, praticamente, na China. E sem dúvidas que uma escassez gera um aumento no custo. Muitos produtos são fabricados no país asiático e esse fluxo não está acontecendo, por causa da Covid-19. A gente vai começar a ver falta de containers”, informou Silva, em entrevista concedida à CNN.

Situação logística pode encarecer produtos e elevar inflação

Com o encarecimento do meio de transporte, os produtos importados também devem ser afetados. De acordo com a Confederação Nacional da Indústria, o frete marítimo subiu 472% na pandemia. Isso fez com que o preço médio do serviço de transporte custasse 5,7 vezes mais para o consumidor final.

"A elevação do custo foi catalisada pela pandemia, mas há indicativos de que esses valores, bem superiores à média da última década, seriam um novo normal", afirmou Matheus de Castro especialista em infraestrutura da CNI, em entrevista ao site da Exame.

Não há expectativa para que os preços fiquem mais baixos no momento. Isso porque 90% das movimentações do comércio internacional são feitas pelo mar. Além de encarecer produtos vindos de outros países, a situação pode agravar ainda mais a elevação da inflação no Brasil.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos